Duas Décadas Após o Ataque com Gás Sarin no Metrô de Tóquio

20 Anos Após o Ataque do Gás Sarin no Metrô de Tóquio

2 Décadas Após o Ataque com Gás Sarin no Metrô de Tóquio

Hoje fazem 22 anos após o mais grave atentado no Japão, depois da Segunda Guerra Mundial: O Ataque do Gás Sarin no Metrô de Tóquio, conhecido no Japão como Chikatetsu Sarina Jiken (地下鉄サリン事件), ocorrido no dia 20 de março de 1995.

Este ato de terrorismo orquestrado por membros da seita Aum Shinrikyo, atingiu mais de 6 mil pessoas, deixando 50 pessoas em coma ou em estado muito grave e levando 12 pessoas a óbito. O gás sarin, um gás incolor e letal, foi desenvolvido pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, mas não chegou a ser usado por eles.

O atentado ocorreu às 8 horas, no auge da hora do rush da manhã em Tóquio. A maioria dos sobreviventes se recuperou totalmente, mas muitas vítimas ainda carregam sequelas físicas decorrentes do ataque como danos permanentes nos olhos, pulmões e sistema digestivo, além de traumas psicológicos.

O gás sarin foi levado por cinco homens da seita, que se passaram por passageiros comuns. O ataque foi direcionado especialmente contra trens que passavam por Kasumigaseki e Nagatachō e graças à rápida ação de evacuação e descontaminação, milhares de vidas puderam ser poupadas, apesar de tudo.

A Seita Aum Shinrikyo

Durante os anos 80, Shoko Asahara, líder da seita Aum Shinrikyo que se auto-denominava um monge budista, começou a ganhar muitos seguidores. A maioria eram pessoas fragilizadas pela recessão econômica ou que se sentiam desconfortáveis ​​dentro da sociedade homogênea japonesa.

Em 1989, Aum Shinrikyo foi reconhecida como uma corporação religiosa no Japão, e em 1995, ele chegou à marca de 40 mil seguidores. No início de 1990, Asahara incorporou crenças apocalípticas cristãs em seus ensinamentos budistas e se auto-proclamou como a reencarnação de Jesus Cristo e Buda.

A seita passou a estocar armas e a recrutar jovens cientistas brilhantes para criar um arsenal de armas bioquímicas. Estas armas, segundo Shoko Asahara, levariam a uma terceira guerra mundial e somente os seguidores da Aum Shinrikyo conseguiriam se salvar deste eventual cenário apocalítico.

Os cinco membros da seita foram condenados à morte, além de outros membros envolvidos em vários crimes relacionados à seita. Em setembro de 2006, Shoko Asahara foi condenado à pena de morte e pode vir a ser executado a qualquer momento, já que as datas de execução são mantidas em sigilo no Japão.

Se você quiser saber mais detalhes sobre essa história, recomendo que assista ao documentário da série Hora Zero, do canal Discovery Channel. Neste documentário, você terá acesso a todos os detalhes sobre a seita Aum Shinrikyo e sobre esse atentado que causou muito pânico no Japão no ano de 1995:


Link do vídeo (YouTube)

Referências: History.com
Imagem: Tokyo Weekender

Quer Aprender Japonês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *