Conheça a história por trás dessas cinco palavras japonesas!

Conheça a história por trás dessas cinco palavras japonesas

Descobrir a origem das palavras pode ser uma tarefa incrível. Nem todas tem uma história interessante por detrás, mas as poucas que existem podem mesmo impressionar qualquer um. No japonês, a coisa não é diferente. Existem algumas palavras que tem origens muito antigas, mas o que chama a atenção mesmo é a história que impulsionou o seu surgimento.

Hoje vamos conhecer 5 palavras japonesas que entram nesse quesito. Vai ser uma boa oportunidade de você conhecer palavras novas, caso ainda não as conheça, assim como a sua etimologia, assim como histórias que fazem parte de lendas ou mitologia oriental.

1. Baka (馬鹿) – idiota / estúpido

animalinyou.com

Se tem uma palavra que todo mundo que vive no Japão conhece é “Baka”. Apesar dessa palavra ser geralmente escrito em hiragana ou katakana, existe o kanji 馬鹿 que também pode ser usado. Se você observar os kanjis isoladamente vai perceber que 馬 significa “Uma” (cavalo) e 鹿 significa “Shika” (veado ou cervo). Mas o que isso tem a ver com baka?

Para descobrir, temos que voltar um bocado de tempo… Segundo conta uma lenda, Qin Er Shi, que era o segundo imperador da dinastia Qin (229 aC a 207 aC) e um de seus conselheiros chamava-se Zhao Gao. No entanto, Zhao queria derrubar a dinastia e assumir o reinado.

Para se certificar de que os outros funcionários do governo se uniriam a ele, Zhao Gao trouxe um cervo perante todos e disse ao imperador que era um cavalo. O imperador riu e disse que era um veado, e então Zhao perguntou aos outros funcionários o que eles pensavam.

Alguns concordaram com o imperador e disseram que era um cervo, enquanto outros concordaram com Zhao Gao e disseram que era um cavalo. Ao fazer isso, Zhao Gao descobriu quem seria leal a ele, e executou os aliados do imperador que disseram ser um cervo. Isso eventualmente ajudou-o a traçar o caminho para a derrubada da dinastia Qin.

Assim, nasceu o ditado “chamar um veado de cavalo”, que originalmente significava “deturpação deliberada para fins ulteriores”. Ao longo de alguns mil anos, o significado da frase mudou para alguém “estúpido” o suficiente para chamar um cervo de cavalo.

# 2. Chiin (知音) – um amigo muito próximo

auction.artron.net

Esta pode não ser uma palavra comum, mas ainda assim tem uma ótima história por detrás. Tomodachi significa amigo e shin’yū significa melhor amigo em japonês. Mas chiin também pode ser usado para se referir ao seu best friend. Os ideogramas de chiin, no entanto, é uma combinação de duas palavras que aparentemente não tem nenhuma relação com amizade.

O kanji 知 significa “conhecimento”, enquanto que 音, significa “som”. Afinal, o que “conhecimento do som” tem a ver com amizade? Aqui está a história por trás da palavra:

Na China, durante o período dos Reinos Combatentes (475 aC a 221 aC), havia dois bons amigos: Bo Ya e Zhong Ziqi. Bo Ya gostava de tocar guqin (instrumento de corda chinês), enquanto Zhong Ziqi gostava muito de ouvir seu amigo tocar. Mas o que mais chamava a atenção era que os dois amigos tinham uma sincronia de pensamento incrível.

Quando Bo Ya pensava em montanhas altas enquanto tocava, Zhong Ziqi escutava e dizia: “Isso me faz pensar no monte Tai!” Quando Bo Ya pensava em fluir de águas enquanto tocava, Zhong Ziqi escutava e dizia: “Isso me faz pensar nos rios Huang e Yangtze! “Não importa o que Bo Ya tocava, Zhong Ziqi sempre conseguia ler seus pensamentos através da música.

Quando Zhong Ziqi faleceu, Bo Ya quebrou as cordas do seu guqin e prometeu nunca mais tocar, porque ninguém jamais entenderia sua música como seu amigo. Essa é a origem da palavra chiin. Uma amizade onde duas pessoas estão tão conectadas que ao ouvir uma música juntas, conseguem saber o que a outra pessoa está pensando naquele momento.

# 3. Mujun (矛盾) – contradição

m.qbaobei.com

Digamos que você tenha um amigo que diz que odeia fast food, mas frequentemente come lanche do Md Donalds, diz que gosta de se exercitar, mas seus tênis de corrida e halteres ainda estão em suas caixas desde a compra, diz que odeia política, mas fala sobre isso o tempo todo. Daí, um belo dia você diz ao seu amigo: “Você é uma contradição viva!”

A palavra japonesa para contradição é “mujun” (矛盾) e o kanji dessa palavra traz esses significados: mu 矛 (lança) e jun 盾 (escudo). Ei, mas espere um pouco, o que lança e escudo têm a ver com contradição? A seguir você conhecerá essa curiosa história chinesa:

Na China antiga, no estado de Chu, havia um comerciante que vendia lanças e escudos. Quando ele queria vender uma de suas lanças, ele dizia aos clientes: “Esta lança é tão afiada que pode perfurar qualquer escudo!”. E quando ele queria vender um dos seus escudos, seu discurso era: “Este escudo é tão forte que pode quebrar qualquer lança!”

Até que uma dia, um cliente perguntou-lhe o que aconteceria se ele usasse a tal lança inquebrável e o escudo impenetrável ao mesmo tempo. O comerciante ficou sem resposta pois percebeu que havia entrado em contradição. Dessa forma, surgiu a palavra mujun, uma palavra que é bastante comum no Japão, cujas raízes remontam a esta história chinesa tão antiga.

# 4. Yaochō (八百長) – perder propositalmente

thepublicapology.net

Bem, precisamos dizer que esta é uma das palavras menos intuitivas dessa lista, mas também uma das mais divertidas. Pra começar, precisamos explicar a origem da palavra japonesa “yaoya” que significa mercearia. Antigamente, era chamado de “aoya”, abreviação de “aomonoya”, que literalmente significa “loja de coisas verdes” ou “loja de vegetais”.

Eventualmente, aya combinava com a palavra yaorozu (coisas incontáveis), o que faz sentido já que as mercearias vendem uma infinidade de coisas. Foi assim que surgiu o termo “yaoya” e seguindo essa linha de pensamento, podemos presumir que Yaochō deve significar então algo como “dono da mercearia”. Errado! Esta palavra significa match-fixing.

Match-fixing nada mais é do que “combinar o resultado de uma partida antes do jogo ser efetivamente jogado” ou em outras palavras, “perder propositalmente em troca de dinheiro ou algum outro benefício”. Trata-se de uma prática que viola as regras de qualquer esporte.

A origem da palavra remonta à Era Meiji (1868 a 1912): Havia um dono de uma mercearia que se chamava Yaochō (“dono da mercearia”). Ele era amigo de um lutador de sumo chamado Isenoumi Godayū. Os dois costumavam lutar juntos, e apesar de Yaochō ser um bom lutador, às vezes ele perdia de propósito para Isenoumi somente para deixa-lo de bom humor.

Na verdade, havia um outro motivo por trás disso. Quando Isenoumi estava de bom humor, ele acabava comprando mais mercadorias do Yaochō, que por sua vez ganhava mais dinheiro.

# 5. Shushu (守株) – manter velhos hábitos

blog.livedoor.jp

Apesar de não ser uma palavra muito comum, vale a pena conhecer a história por trás da palavra “shushu”. O kanji 守, significa “defesa, proteção”. Já o kanji 株 significa “toco de árvore”. Mas o que isso tem a ver com “manter velhos hábitos”? Aqui está a história:

Havia um fazendeiro chinês durante a Dinastia Song (960-1279) que era preguiçoso e não muito brilhante. Um dia ele viu um coelho correr e atingir um toco de árvore. Com isso o coelho quebrou o pescoço e morreu, o que lhe rendeu uma refeição fácil naquele dia.

Então, o fazendeiro pensou, “se eu fizer uma vigília neste toco todos os dias, outro coelho virá e fará o mesmo!” No entanto, nenhum outro coelho apareceu, e o “guardião do toco” acabou tornando-se uma piada em sua aldeia. Portanto, ser cabeça dura e ficar obcecado com velhos hábitos pode ser uma tremenda perda de tempo, além de não trazer nenhum resultado.

E, aí? O que você achou das histórias por trás dessas palavras japonesas? Muito legal não é mesmo? Conhece outras palavras japonesas com etimologias interessantes para compartilhar conosco? Deixe-nos saber nos comentários! Sua contribuição é sempre bem vinda!

Fonte: rocketnews24.com

Quer Aprender Japonês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *