Japão – A atitude faz toda a diferença

📩 Clique aqui para receber nossos artigos por email!

Japão, uma questão de atitude
Princípios básicos de uma sociedade do Primeiro Mundo
Recebi um e-mail dias atrás, com uma ótima analogia sobre as diferenças entre os países ricos e pobres. Daqueles que nos fazem refletir mesmo, afinal o Brasil embora tenha conquistado a posição de país emergente, ainda é visto como um país subdesenvolvido, devido aos problemas econômicos e sociais que enfrenta.

Muitas vezes, nos perguntamos, por que o Brasil enfrenta todos esses problemas, já que é um país grande, fértil e rico em recursos naturais, enquanto outros países tão minúsculos, com terras inférteis e climas hostis, aparentemente “improdutivos” são considerados grandes potências mundiais, como o Japão e a Suíça por exemplo.

Sociedade japonesa

Tudo indica que um dos principais motivos seria porque esses países seguem certos princípios básicos como base em suas vidas diárias. Nosso país é visto como “pobre” não por falta de recursos naturais, riqueza ou porque achamos que é pura falta de sorte. Somos pobres porque nos falta a atitude de aprender os fundamentos básicos, necessários para nos tornarmos uma sociedade rica e desenvolvida.

Peço que leiam o texto abaixo (não é de minha autoria) e reflitam sobre as diferenças entre os países. Só assim poderemos agir, pois não só de reflexões e analogias se modifica o mundo e sim com as ações. Só agindo é que poderemos mudar alguma coisa em nosso país, caso contrário, só nos resta a conformação.

A diferença entre países pobres e ricos

(Texto original de Gabriel A. Johnson, de St. Louis, Missouri, EUA)

A diferença entre os países pobres e os ricos não tem nada a ver com a idade do país: Podemos notar isso, observando países como a Índia e o Egito, que possuem mais de 2 mil anos de idade, mas são pobres.

Por outro lado, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, que há 150 anos atrás eram inexpressivos, hoje são países desenvolvidos e ricos. A diferença entre países pobres e ricos também não reside nos recursos naturais disponíveis.

O Japão possui um território limitado, 80% montanhoso, inadequado para a agricultura e a criação de gado, mas é a terceira economia mundial (mas já foi segunda). O Japão é como uma imensa fábrica flutuante, importando matéria-prima do mundo todo e exportando produtos manufaturados.

Outro exemplo é a Suíça, que não planta cacau mas tem o melhor chocolate do mundo. Em seu pequeno território cria animais e cultiva o solo durante apenas quatro meses por ano. Não suficiente, eles produzem produtos de laticínios da melhor qualidade! É um país pequeno que passa uma imagem de segurança, ordem e trabalho, o que o transformou na caixa forte do mundo.

Executivos de países ricos que se relacionam com os executivos de países pobres mostram que não há diferença intelectual entre eles. A raça ou a cor da pele também não são importantes: imigrantes rotulados de preguiçosos em seus países de origem são a força produtiva de países ricos europeus.

Então qual é a diferença entre esses países? A diferença está na atitude das pessoas, moldada ao longo dos anos pela educação, pela cultura, pelo nível de consciência do seu povo e pelo espírito empreendedor e de coletivismo. Aprendem desde que nascem os princípios básicos para uma sociedade perfeita.

Ao analisarmos a conduta das pessoas nos países ricos e desenvolvidos, constatamos que a grande maioria segue os 10 princípios básicos em suas vidas:

1. A ética, como princípio básico.
2. A Integridade.
3. A Responsabilidade.
4. O respeito às leis e regulamentos sociais.
5. O Respeito aos direitos dos demais cidadãos.
6. O amor ao Trabalho.
7. O esforço para poupar e investir.
8. O desejo de superação
9. A Pontualidade.
10. A Disciplina

Nos países pobres, infelizmente, apenas uma minoria procura seguir esses princípios básicos no seu dia a dia. E esquecem do mais fundamental: Atitude.

Atitude para agir, ao invés de lamentar, atitude de aprender os princípios básicos, ao invés de se conformar, atitude de ensinar esses princípios para as novas gerações, ao invés de ficar indiferente e cruzar os braços, deixando tudo como está.

Mas se você, ao contrário da maioria, luta para seguir esses princípios e tenta mudar a todo custo essa sociedade corrupta e inescrupulosa que domina o nosso país, lembre-se que apesar da maioria dos brasileiros culpar os governantes pelo caos social e econômico, na verdade o verdadeiro culpado é o próprio povo, que com o seu “jeitinho brasileiro”, adora ludibriar e passar a perna nos outros.

Se por um lado falta atitudes positivas no povo brasileiro, por outro lado sobra arrogância, ignorância e ganância. Temos que mudar nosso pensamento e deixarmos de ser coniventes com as coisas erradas que vemos por aí. Como diz Luter king: “O que mais me preocupa não é o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons”.

Os pensamentos geram atitudes. Atitudes geram hábitos. Hábitos geram um estilo de vida. Estilo de vida é reflexo do caráter. O caráter de um povo é o reflexo daquilo que ele pensa e age. Os governantes pensam e agem como o seu povo.

E como dizem… cada povo tem o governo que merece! Nós somos o que pensamos e não o que pensamos que somos! Mudando nossa forma de pensar e de agir poderemos mudar uma sociedade inteira. Pense nisto!

Lógica japonesa x lógica brasileira
Veja também:
40 motivos para amar o Japão
40 motivos para amar o Japão 2
40 motivos para amar o Japão 3
10 coisas que devemos aprender com o Japão

Aprenda a ser um bambu japonês

Quer Aprender Japonês?

12 Comentários

  1. Marcos de Souza

    Eu amo o JAPÃO.

  2. Douglas

    Por causa disso que o Japão é o que é, o pensamento no que é melhor para todos faz com que todos se beneficiem.
    Acho que o pessoal deveria parar de tentar dar o “jeitinho brasileiro”, só com isso muitas coisas já melhorariam. Outro pensamento que já criou raízes na cabeça de muita gente é que escola é igual prisão, ta certo que tem algum professor chato, mas pra que ficar arranjando briga né?
    Sempre fico reparando nas minhas atitudes, sempre tento poder melhorar como pessoa e estudante (ainda não trabalho>_<)
    Quando a maioria querer uma melhora, ao mesmo tempo melhorar a si mesmo e respeitar mais os demais. Poderemos vê um lugar mais lega para se viver!

  3. Ana Beatriz Petriu

    Respeito, historia, boa culinária, e muuuuita tradição ! Temos tanto que aprender com vcs, irmãos japoneses ! banzai !

  4. Japão em Foco

    Oi Marcos!
    (◑ ‿ ◐)

    Oi Douglas!
    Pois é meu amigo… só mudando o caráter do povo para que possamos ver mudanças significativas na qualidade de vida das pessoas em geral. Quando isso for possível, teremos um país com mais segurança e melhor pra se viver, pois do jeito que está, tenho a impressão que as pessoas vivem com medo de saírem às ruas, de serem assaltadas ou mortas na primeira esquina. Somos desconfiados de natureza pois já estamos cansados de sermos passados para trás por pessoas de má fé. Vivemos enjaulados dentro das nossas próprias casas e muitas vezes, nem quando estamos dentro dela, nos sentimos 100% seguros.

    Justo no lugar onde é o nosso cantinho, onde queremos repousar depois de um dia exaustivo de trabalho. Será que um dia poderemos ter a segurança que se tem nos países desenvolvidos? Será que um dia presenciaremos essa mudança? Ou será que o “jeitinho brasileiro” já impregnou a ponto de não podemos mais fazer nada para mudar a mentalidade do povo??? (╥ _ ╥)

    Oi Ana Beatriz!
    Se todos aprendessem as lições valiosas que os japoneses tem a ensinar, pode ter certeza de que o Brasil seria uma nação bem desenvolvida… não digo somente na questão econômica… digo principalmente na questão social. Aqui no Brasil, colocamos sempre a culpa no governo… mas e o que fazemos? Cruzamos os braços! Ou seja nos falta a atitude de dar o primeiro passo, de dar o exemplo.

    No Japão, por exemplo, quem cuida da limpeza das ruas são a própria comunidade do bairro. Eles não esperam que o governo mande garis. Eles mesmo vão lá e fazem. No Brasil, vemos as pessoas jogando lixos nas ruas. No Japão, eles sabem que terão que limpar a sujeira, por isso evitam de jogar lixo nas ruas. Passeiam com o cachorro, mas sempre levam uma pá e saquinho para recolher o cocô. ♡^▽^♡

    Enfim, são pequenos detalhes que mostram o caráter de uma nação!!!! (^ _-) ≡ ★

    Nas escolas, as crianças são responsáveis em fazer a limpeza depois da aula… enquanto que no Brasil, vemos as crianças depredando carteiras, pichando as paredes da escola, ou seja, destruindo o patrimônio escolar, cuja a responsabilidade é dentre muitas coisas, moldar o caráter dos cidadãos… Falta respeito e disciplina desde a mais tenra idade! Como diz o ditado, é de pequenino que se torce o pepino… Vish… (⊙ ▂ ⊙)… falei demais kkkk Abraços!

  5. Pingback: 40 razões para amar o Japão | Curiosidades do Japão

  6. Pingback: 10 Coisas para serem aprendidas com o Japão | Curiosidades do Japão

  7. amei esse post,realmente o brasil prefere ficar jogando a culpa no governo,mas fica de braços cruzados deixando o brasil mais pior.no japao eles tem uma logica mais determinada e por isso que os torna um pais de primeiro mundo.seu post foi otimo,como sempre voce arrasa no seus posts,continue assim seus posts sao demais. 😉

  8. Muito bom o post, as vezes penso comigo mesmo que o jeito é mudar de país, e viver no japão, que é o lugar que mais amo, pela cultura, segurança, respeito e demais fatores. As vezes acho que ser brasileiro é tão complicado, ao ponto de pensar: esse país não tem jeito. Porque Brasileiro tem uma teimosia de ser tudo o que já foi dito, a arrogância, ganância e diversos tipos de coisas problemáticas que o Brasil carrega nas costas. E realmente, o governo do país, é o espelho do povo brasileiro, eles são o que nós somos, me pergunto quando o brasil chegará PERTO dos pés do que o Japão é hoje…

  9. osvaldo kazuaki nakamura

    vcs so falam as coisas boas do japao,mas nas pequenas cidades vc não aguenta o cheiro de urina perto das estaçoes de trem,na estaçoes grandes a quantidade de mendigos pedindo dinheiro,sem falar nas fabricas onde somos humilhados todo o dia

  10. May

    Sr. Nakamura: com quase um ano de atraso faço uma pergunta diante do seu comentário: isso aí que o sr. falou, por acaso não existe em todo o mundo, inclusive e principalmente no Brasil? Em que planeta o sr. vive? Já morou em grandes cidades brasileiras como São Paulo por exemplo?

  11. kondo

    Nakamura…. se todo o problema do Brasil se resumisse a cheiro de urina perto de estaçao de trem em cidade pequena e mendigos pedindo esmola…. AI SIM EU IA QUERER MORAR NO BRASIL kkkkkkkk

  12. Mimi

    Nakamura, nunca ouvi falar de japones mendigo ficar pedindo dinheiro, so pode ser mendigo estrangeiro, ou ate mesmo brasileiro, o que nao duvido.
    E outra, para japones humilhar, eh porque muitos brasileiros nem sabem falar japones, e o minimo que os brasileiros deveriam fazer eh aprender a lingua local onde esta morando. Fui naquelas aulas de japones gratuita da prefeitura e havia muitos estrangeiros mas eu era a unica brasileira aprendendo japones. Brasileiro eh muito acomodado, nao faz NADA para melhorar e so RECLAMA!!!!!

  13. Victor Hideki Kawahara

    Sr nakamura, “humilhado” nas fabricas… se vc nao sabe se socializar e/ou nao é uma pessoa com principios bons, vc espera o que? Se vc mao sague a politica de vida/cultural de um pais, como espera ser bem tratado e mais, experimenta ter lingua presa, falar um pouco enrolado ou ter qualquer tido de “defeito” aqui no brasil pra vc ver se nao sofre um baita de um preconceito(humilhação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *