Kagami Biraki – Cerimônia da Comunhão Espiritual

Kagami Biraki

Cerimônia Kagami Biraki

Kagami Biraki (がみもち / 鏡開き) é um ritual tradicional de Ano Novo que ocorre no dia 11 de janeiro. Sua tradução literal seria “Abertura do espelho” e também “Corte de um Mochi”. É uma cerimônia realizada em muitas escolas tradicionais de artes marciais (dojos) e também em muitos lares e templos japoneses.

Se trata de uma tradição antiga realizada pelos samurais durante o século 15 e que foi adotado pelas artes marciais modernas, a partir de 1884, quando Jigora Kano (o fundador do judô), instituiu o costume no Kodokan, sede de sua organização, embora com algumas mudanças para se adaptar aos dias de hoje.

Desde então, outras artes japonesas, como Aikido, Karatê e Jujutsu, adotaram o ritual no Ano Novo, como uma tradição de nova consagração, renovação e espírito. Embora o dia oficial seja dia 11, muitas vezes a celebração acontece no 2° sábado ou domingo de janeiro para que todos os alunos possam participar.

Simbolismo do Mochi

O mochi é considerado o maior símbolo do Ano Novo japonês pois é dito trazer sorte e abundância. O mochi é um bolinho de arroz feito no vapor e tem o aspecto pegajoso (mochi gome).

No passado, o mochi era feito em casa, mas hoje em dia, a maioria das famílias já o compra pronto. Já o Kagami Mochi é o mochi ornamental de final de ano, que consiste em dois mochis sobrepostos, um maior que o outro e com uma laranja dadai no topo.

Durante o mês de dezembro, ele é colocado em um altar em um santuário ou tokonoma (alcova) como uma oferta às divindades que visitam no Ano Novo.

No dia 11 de janeiro o Kagami mochi é quebrado em pedaços menores e repartido entre as pessoas antes de ser comido. Mas ele jamais deve ser cortado com uma faca, pois segundo superstições esse ato tem conotações negativas (como “cortar laços”).

Ao invés disso, o Kagami mochi deve ser quebrado com as mãos ou um martelo. Essa quebra simboliza “o que sai” na mitologia japonesa, como um ato de renovação espiritual. As peças menores são torrados e colocados no shiruko (sopa de feijão doce cozido) ou zoni (sopa de legumes e carne). Quando o Kagami Mochi é partilhado e consumido por todos, é visto como um ato de comunhão espiritual.

Acreditava-se que esse ritual não só simboliza a renovação das almas de seus ancestrais, mas também a absorção do espírito (ou aura) do Toshigama (Deusa do Sol). Por esta razão, comer Kagami Mochi sempre representa a renovação, dedicação, felicidade, sore, esperança, otimismo, oração e paz no ano novo.

Origem da Cerimônia Kagami Biraki

A origem da cerimônia teria começado por Tokugawa Ietsuna, o quarto Shogun do clã Tokugawa poderoso (1651-1680). Ele reuniu seu Daimyo (clãs feudais) no castelo de Chiyoda, antes de uma batalha e segundo uma versão, ele exibiu um espelho, realizaram uma dança de guerra na frente dele e depois oraram para a vitória.

No ritual, um barril de saquê foi quebrado com um martelo de madeira. Após a vitória de Ietsuna na batalha, o Kagami Biraki passou a se tornar uma cerimônia frequente para trazer sorte e vitória ao clã feudal. O saqueassim como o mochi, é considerado sagrado e por isso está presente na maioria das cerimônias no Japão.

Nos últimos anos, algumas pessoas têm feito outras interpretações do Kagami Biraki. Como significa “Abertura do Espelho”, do ponto de vista xintoísta, o espelho seria sua auto-imagem, ou seja a imagem que você tem de si mesmo ou seu próprio ego. Ao quebrar o Kagami Mochi, você estaria quebrando sua auto-imagem que te liga ao passado, dando-lhe a oportunidade de experimentar o novo, o agora, o hoje.

Kagami Biraki nos dias de hoje

Atualmente, a cerimônia é realizada também em casamentos, eventos esportivos, na fundação de novas empresas e em outros eventos importantes. O mochi e o saque são distribuídos entre todos os participantes com o espírito de compartilhar um momento feliz, de união, cooperativismo e dedicação de um grupo.

A data foi escolhida próximo ao Ano Novo seria para demonstrar a importância do início, afinal Ano Novo significa um novo período de vida. Seria uma forma de começar o novo ano em alto espírito, partilhar a energia e a união entre as pessoas. Está também associada a uma limpeza espiritual de primavera.

Nas escolas de artes marciais, os dojos são limpos e decorações são freqüentemente colocados ao redor do dojo. Depois joga-se sal para que a cerimônia também seja de purificação. O sal simboliza a bondade, pureza e virtude, e ao ser varrido com ramos de pinheiros, leva com ele o material e impurezas espirituais do passado.

Se antigamente a partilha do mochi entre os membros da família e do clã ajudava a fortalecer os laços de lealdade e amizade entre os guerreiros, hoje em dia esse conceito continua. O mochi ajuda a preparar o corpo para o novo ano, assim como o Nanakusa Gayu, no dia 7 de janeiro, é dito curar o corpo de muitas doenças.

Outras tradições de Ano Novo no Japão:
Nengajo – Cartões postais de Ano Novo
Ano Novo no Japão – Amuletos
Ano Novo no Japão – Comidas
Ano Novo no Japão -Rituais
Ano Novo no Japão – Jogos
Como dizer Feliz Ano Novo em japonês
Kakizome – A primeira caligrafia do Oshougatsu
Hatsuyume, o primeiro sonho do Ano Novo
Otoshidama, a tradição de Ano Novo para as crianças

Quer Aprender Japonês?

3 Comentários

  1. Pingback: Namahage, o festival para assustar as crianças | Curiosidades do Japão

  2. Pingback: Tradições de Ano Novo no Japão | Curiosidades do Japão

  3. Pingback: Shinnenkai, a confraternização de Ano Novo | Curiosidades do Japão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *