Tanabata Matsuri – Festival das Estrelas

📩 Clique aqui para receber nossos artigos por email!

Tanabata Matsuri

Festival das Estrelas ou Festival da Sétima Noite
O Japão é palco de uma grande quantidade de festivais durante o verão, como o Bon Odori por exemplo. Outro festival bastante popular e esperado pelos japoneses é o Tanabata Matsuri, conhecido também por outros nomes como Festival do Tanabata, Festival das Estrelas, ou ainda Festival da Sétima Noite.

História do Tanabata Matsuri

O Tanabata Festival (たなばた / 七夕物語) tem origem na China e remonta uma lenda de mais de 2 mil anos atrás. Na China recebe o nome de Qixi Festival e é considerado o Dia dos Namorados chinês. No Japão é comemorado no dia 7 de julho ou 7 de agosto (que é em torno do sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar).

Tanabata Matsuri

O festival foi importado pela imperatriz Koken no ano de 755, sendo adotado no Palácio Imperial de Kyoto a partir do período Heian. Porém se tornou realmente popular no início da Era Edo, se misturando aos tradicionais festivais Obon.

Pode-se dizer que o Tanabata seja uma das grandes influências chinesas trazida para o Japão. Na verdade existem outros festivais semelhantes em outros países do Oriente e até do Ocidente, inspiradas no folclore chinês da “Princesa e o Pastor” ou nas estrelas Vega e Altair, que veremos na lenda mais abaixo.

Tanabata Altair e Vega

Como o Festival corresponde ao calendário lunar, a data das festividades podem variar conforme a região, porém começam sempre no dia 7 de julho do calendário gregoriano, se estendendo até agosto, de acordo com a região ou país.

Tradição do Tanabata Matsuri

Durante o Festival Tanabata, existe o costume tradicional de se escrever desejos em um pequeno pedaço de papel colorido (Tanzaku), que depois são pendurados em ramos de bambu, na esperança de que o desejo se torne realidade. Cada cor tem um significado: amarelo é dinheiro; rosa, amor; vermelho, paixão; azul, proteção e saúde; verde, esperança; branco, paz.

Tanabata Matsuri

Grandes decorações coloridas também são vistas enfeitando as casas, assim como as praças e ruas principais de muitas cidades japonesas. Em outras regiões é comum também colocar lanternas de papel ou folhas de bambu no rio, para que sejam levadas pelas correntezas, sendo queimados após o festival.

Os maiores festivais Tanabata no Japão, ocorrem em Sendai (agosto) e Hiratsuka (julho). É comum também vermos o Tanabata sendo representado através de mangás, animes, dramas de TV japoneses, filmes e até canções!

Tanabata Matsuri

A Lenda do Tanabata

A origem do Tanabata é baseado em um conto antigo chinês com mais de 2.000 anos atrás. Era uma vez uma Princesa Tecelã chamada Orihime, filha de Tenkou, o Rei Celestial e um Príncipe Pastor chamado Hikoboshi, que viviam na Via Láctea. Em certo momento se encontraram e se apaixonaram um pelo outro.

Os dois sempre foram muito trabalhadores e responsáveis com seu trabalho, porém desde que começaram a viver um fulminante romance, o jovem casal deixou de cumprir com as obrigações e tarefas diárias como de costume.

A princesa tecelã e o príncipe pastor

Isso provocou a ira no rei Tenkou, que resolveu separá-los em lados opostos do rio Amanogawa (Via Láctea). Orihime chorou e implorou muito a seu pai, que se comoveu e concordou em deixá-los se encontrar somente uma vez por ano, no dia 7 do mês 7 do calendário lunar, sendo representados pelas estrelas Vega e Altair.

Em agradecimento à dádiva recebida, o casal atende aos pedidos vindos da Terra, feitos em papéis coloridos (irogami) e pendurados em bambus (sassadake). Acredita-se que se nesse dia estiver chuvoso, Orihime e Hikoboshi não podem ver um ao outro e o encontro só poderá ser novamente no ano seguinte.


Na mitologia japonesa, este casal é representada por duas estrelas situadas em lados opostos da galáxia, que realmente só são vistas juntas uma vez por ano: Vega (Orihime) e Altair (Kengyu). Veja o vídeo abaixo com a história:


Link do vídeo Altair e Vega

Festival do Tanabata no Brasil

No Brasil, o primeiro festival Tanabata foi realizado na cidade de Assaí no Estado do Paraná no ano de 1978. No ano seguinte, em 1979, o evento passou a ser feito anualmente no Bairro da Liberdade, na cidade de São Paulo, que neste ano (2016), será realizado nos dias 16 e 17 de julho.

Hoje em dia, muitas outras cidades, entre elas Santo André e Ribeirão Preto, promovem o Tanabata Matsuri, com sua decoração colorida típica, além de muitas apresentações de tambores Taiko, danças folclóricas e shows de cantores. Os festivais Tanabata geralmente ocorrem nos dias 7 e 8 de julho no Brasil.

Canção Tanabata

Há uma canção tradicional de Tanabata que é ensinada praticamente a todas as crianças japonesas:

Letra Tradução
Sasa no ha sara-sara (笹の葉 さらさら)
Nokiba ni yureru (軒端にゆれる)
Ohoshi-sama kira-kira (お星様キラキラ)
Kin Gin sunago (金銀砂ご)
As folhas do bambu, murmuram, murmuram,
balançam as pontas.
As estrelas brilham, brilham,
grãos de areia de ouro e prata.

Vídeo da música ” Tanabata Matsuri “


Link do Vídeo com a Música Tanabata Matsuri

* Texto originalmente publicado no dia 23 de Julho de 2012

Quer Aprender Japonês?

21 Comentários

  1. Lívia

    Lindo!

  2. Japão em Foco

    Oi Lívia!
    Obrigada pela visita e pelo comentário!
    Abraços!

  3. Pingback: Nanakusa Gayu - As 7 ervas da Primavera | Curiosidades do Japão

  4. Pingback: Lanternas japonesas Chouchin e Bonbori | Curiosidades do Japão

  5. Célia

    FASCINANTE …AMEI!!!!!!!

  6. Japão em Foco

    Oi Célia!
    Que bom que você gostou da matéria!
    Abraços! 🙂

  7. Pingback: Datas Comemorativas do Japão | Curiosidades do Japão

  8. Neste Sábado Vai Ter Na Liberdade e Como Sempre Eu Vou Estar Lá Gosto Muito Do Festival.

  9. Ágatha Kimura

    Eu celebro essa data festejando na minha casa, com comidas tipicas e pendurando os pedidos nas árvores! Meus amigos adoram!

  10. Nathalia

    Li atrasada 😳
    Maaaaas, eu sou uma anta 😳 Perdi a data do encontro deles 😳
    É que eu peguei emprestado, já faz uns 2 ou 3 anos, um livro na biblioteca da minha escola, chamado contos chineses.
    Mês passado, eu peguei ele de novo, eu tava curiosa com essa lenda !
    Lá, está como O Pastorinho e a Fiandeira.
    Fala sobre um jovem que morava com o irmão e a cunhada, e ai, a vaca que puxava o arado falou com ele, e o deu várias dicas, que no final o levou a conhecer a Fiandeira, que é filha da Mãe Celeste.No sétimo dia do sétimo mês,a Porta do Paraíso do Sul se abriria e ela e as irmãs iam lavar suas roupas num regato, e a vaca Branquinha, que o ajudava, mandou ele pegar o vestido da sétima contada do oeste para o leste,e não o devolver, pois assim ela não poderia voltar (vaquinha cruel né?) , e se ele quisesse devolvê-lo, deveria chamar pela vaca três vezes, e ela o devolveria.Tudo aconteceu, ele roubou o vestido, se casou com ela e teve dois filhos, um menino e uma menina.
    Um dia, ele resolveu entregar-lhe o vestido, achando que sua fiel esposa não voltaria para o Paraíso do Sul sem ele.
    Mais um monte de coisas aconteceram, como Branquinha ajudando ele a chegar ao Paraíso do Sul e ele passando por várias provas para poder se juntar a sua amada Fiandeira,impostas pelo Imperador de Jade, pai de Fiandeira.
    A última, foi uma corrida com o Imperador.
    Fiandeira disse que seu pai corria muito, então, falou para Pastorinho pegar,no tesouro do pai dela, as varetinhas e frutinhas que encontrasse.Se o Imperador o estivesse alcançando, ele deveria jogar uma vareta ou duas frutinhas, e o Imperador pararia para recolhê-la.
    Além disso, ela o entregou seu grampo de ouro, dizendo que se ele percebesse que não havia como escapar de seu pai, devia riscar com o grampo uma linha no chão, em sua frente, e o relembrou :
    -À sua frente, não atrás.
    Na corrida, depois de derrubar todas as varetas e frutinhas,ele se virou e viu o Imperador, logo atrás dele, então, traçou o risco com o alfinete.
    Porém, como Pastorinho havia se virado na direção do imperador, o risco fora traçado atrás dele, e não à frente.
    No mesmo instante, o universo inteiro parou,e onde ele havia traçado o risco, um rio começou a correr,separando-os.
    Mas, no sétimo dia do sétimo mês, todos os pássaros da Terra se reúnem em volta das margens do Rio Celeste,e cada um dá uma de suas penas para Pastorinho, que com ela fazia uma ponte até Fiandeira.

    Caraaaaaca! Eu resumi tudo aquilo ^ !
    Ai se isso valesse nota… u.u

    Ah, a Branquinha morreu
    Se tiver algum erro, me desculpe, a última vez que eu dormi foi ontem, das nove até a uma, então eu to bêbada de sono 👿

  11. Japão em Foco

    Oi Pedro!
    Deve ser muito legal o Tanabata Matsuri da Liberdade né… Eu nunca fui, mas um dia pretendo conhecer…

    Oi Ágatha!
    Que legal que vc curte essa tradição… 🙂

    Oi Nathalia!
    Obrigada por ter postado a história do Pastorinho e a Fiandeira… Eu não conhecia essa versão da história que deu origem ao Tanabata Matsuri. Deu para notar que esta versão que passou está mais completa. Enfim… obrigada por sua contribuição! Abraços! 🙂

  12. Pingback: Kiku no Sekku - Dia do Crisântemo no Japão | Curiosidades do Japão

  13. Pingback: Tsuyu, temporada de chuvas no Japão | Curiosidades do Japão

  14. angelina b.a. nascimento

    Gosto muito do Festival das Estrelas que se realiza no bairro da Liberdade – SP/SP.
    Gostaria de saber a data que será realizado este ano de 2014???????????????????
    Desde já agradeço.
    Angelina 😛 😛 😛 😛

  15. Daniele

    Ah, que lindo! Ocorre no dia do meu aniversário. 😉
    Espero que isso seja bom. rsrs
    Amei o site.
    Beijão!!!

  16. 呑山涼禅

    今年の七夕祭りは、雨が降って星が見えませんでした(T-T)

  17. Suzana Kelly

    Nossa Muito Legal Espero Que Se Torne Tradição do Brasil … Bjss Parabéns Pela Ótima Matéria

  18. #Linda
    História do Tanabata matsuri

  19. nossameu nome significa estrela e eu nasci no dia 07/07/86muito lindo saber dessa historia
    gratidao

  20. nossaaa meu nome significa estrela e eu nasci no dia 07/07/86
    muito lindo saber dessa historia!
    gratidao 🙂

  21. oi aqui é a Rafaela . eu tenho 9 anos e adoro a tradição Japonesa porque meu vô de consideração é Japones. E por causa disso quando eu acordo eu acordo com os olhos puchadinhos como eu fosse Japonesa … só que eu não sou .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *