Qual posição o Japão ocupa no ranking da corrupção?


Índice de corrupção no Japão

Você acha que o Japão tem muita ou pouca corrupção política? Claro que até mesmo o país menos corrupto do mundo, provavelmente não deve ser 100% livre de corrupção. Mas enfim, o que você realmente sabe sobre a corrupção no Japão? Vale lembrar que o Japão é um país extremamente reservado e esse tipo de notícia não costuma vazar muito na mídia.

Tanto que é difícil encontrar muita coisa na internet sobre esse assunto especialmente em língua estrangeira. Mas ainda bem que existem sites especializados que conseguem recolher essas informações não só do Japão como de outros países e assim estabelecer um ranking que nos permite ter uma noção dos níveis de corrupção política à solta no mundo.

Índices Mundiais

A Transparency International é uma desses sites. Trata-se de uma organização independente e confiável que faz um ranking sobre os índices de corrupção de mais de 180 países.

Confiável não pelo fato de ser independente, mas sim por ser administrado por pessoas que tem total capacidade de gerir e recolher dados sobre este problema. Afinal não é qualquer um que pode reunir informações atuais sobre o quanto um país é corrupto.

Abaixo, você poderá ver quais foram os 20 países menos corruptos baseados nesta pesquisa e assim vai ver qual a posição o Japão ocupa, entre outros países. Só lembrando que a pontuação é de 0 a 100, sendo que mais próximo de 100 indica menos casos de corrupção.

Nova Zelândia – 89 pontos
Dinamarca – 88 pontos
Finlândia – 85 pontos
Noruega – 85 pontos
Suíça – 85 pontos
Singapura – 84 pontos
Suécia – 84 pontos
Canadá – 82 pontos
Luxemburgo – 82 pontos
Países Baixos – 82 pontos
Reino Unido – 82 pontos
Alemanha – 81 pontos
Austrália – 77 pontos
Hong Kong – 77 pontos
Islândia – 77 pontos
Áustria – 75 pontos
Bélgica – 75 pontos
EUA – 75 pontos
Irlanda – 74 pontos
Japão – 73 pontos

Análise – posição do Japão

japan-corruption-rank

Estes são todos os 20 mais bem classificados no ano de 2017. E o Japão ficou em 20º lugar no ranking atrás de países com uma fama muito grande sobre seus bons costumes. E tenho que salientar que este é um nível altíssimo para os padrões e média mundial.

Nesta pesquisa, mais de dois terços dos países pesquisados não chegaram a 50 pontos. Para ser exato, apenas 54 países conseguiram 50 pontos ou mais. Além do fato de que a margem de pontuação entre os primeiros colocados são mínimas, como deu para perceber ocorreu vários empates de pontos.

Fora que ao contrário do que muita gente pensa, não existe país perfeito e livre de corrupção, afinal é da natureza do ser humano a corrupção e este problema está até na Bíblia quando Eva caiu em tentação e quis provar do fruto proibido, e isto não é nada mais do que uma forma de corrupção. Eu poderia citar vários exemplos mas não importa agora.

Como podemos notar, nenhum país chegou à 90 pontos. A Nova Zelândia chegou perto mas não conseguiu. E a diferença entre o primeiro colocado e o vigésimo é de 16 pontos. Com isto dá para perceber que os primeiros lugares são extremamente disputados.

Brasil no índice

E o Brasil? Sabemos que é um assunto polêmico, mas como estamos em ano de eleições, esse assunto está (e precisa ficar) em alta, portanto é interessante sabermos qual a posição nosso país tupiniquim ocupa. Como já podemos imaginar sua colocação não é nada boa. Pra você ter uma noção, colocaremos outros países que estão na mesma posição.

Brasil – 37 pontos
Colômbia – 37 pontos
Panamá – 37 pontos
Peru – 37 pontos
Tailândia – 37 pontos
Zâmbia – 37 pontos

E aqui está ele, dividindo o 96º lugar com países que tem uma história de corrupção em escala tão grande quanto a nossa. E devido às várias ocorrências neste ano, pode ser que em 2018 venha ocupar um lugar ainda pior no ranking. E só para termos de comparação, devemos dizer que o Brasil nos últimos 5 anos não ultrapassou a marca de 43 pontos.

Sinceramente é muito triste sabermos que nosso país está em um ranking tão baixo, atrás de países como Índia e Gana. Mas felizmente é bom estar explícito ao mundo, pois sabemos que quanto mais exposto um problema está, mais rápido ele pode ser resolvido.

Casos de corrupção no Japão

Vamos citar alguns escândalos que vieram à tona no Japão. Uma delas se refere ao Ministério das Relações Exteriores que aparentava estar acima de qualquer suspeita. Em 2001, foi revelado que um funcionário deste ministério desviou cerca de US $ 4 milhões e usou o dinheiro para comprar cavalos de corrida e uma associação a um clube de golfe.

Outro usou uma limusine cara durante a cúpula do G8 em Okinawa em 2000. Ainda outro, publicado no Colorado, foi demitido por uso indevido dos fundos do ministério.

Em junho de 2007, o ex-chefe de inteligência Shihetake Ogata foi preso em conexão com um acordo obscuro envolvendo a compra abortada da sede do grupo coreano Chingryon, pró-Pyongyang. Ogata e seus associados foram acusados de defraudar Chongryon de suas terras.

Apesar de ter aumentado os custos e investido dinheiro em projetos que desperdiçavam risco de falência do governo, o governo municipal de Osaka mantinha um fundo caótico de pelo menos 281 milhões de ienes, que em alguns casos era usado pelos funcionários para suas despesas pessoais.

Estes são apenas alguns dos grandes escândalos que ocorreu no Japão. Claro que existem vários outros mas não irei citar por serem notícias com seus direitos autorais pesados e trabalhosos de se lidar.

Vergonha pública – suicídio

Para quem não conhece muito bem a cultura japonesa, tenho que explicar que eles prezam muito pela sua imagem na sociedade. É até um caso extremo e de acordo com alguns fatos influenciam vários fatores da sociedade.

É ESPECULADO, que algumas taxas como as de estupro no Japão só se mantêm baixas por causa da abstenção das mulheres em fazer a denúncia por causa da mancha que ela iria ganhar por causa disto. No Brasil existe isto também, mas aqui o caso puxa mais para o lado da segurança pessoal, lá puxa para o lado da imagem social da pessoa.

Isto está enraizado na sociedade de uma maneira que não tem mais como ser retirado. Um país milenar não vai trocar seus costumes assim do nada, isso demora séculos para acontecer. Em filmes que tem Samurais é comum eles cometerem suicídio após alguma coisa que trouxe vergonha para o seu mestre ou ele mesmo.

Este exemplo é repetido também nos dias atuais, pois houve casos onde políticos corruptos desmascarados cometeram suicídio pouco tempo depois. No Japão, as pessoas prezam muito pela sua imagem, e tentam evitar ao máximo cometer algo que possa manchar sua reputação.

Mas se passarem por uma vergonha pública, a renúncia é certa na maioria dos casos. E a retratação com a sociedade ainda pode ser mais drástica como tirar a própria vida.

Conclusão

Deixarei abaixo o site da Transparency International e de um outro que traz mais casos de corrupção no Japão. Mas tenho que pedir o seu apoio para a Transparency, seja compartilhando informações ou doando para as organizações.

Aproveite para conhecer a organização e se gostar do papel que ela faz no mundo, ajude ela a crescer e se espalhar. Se cada um fizer sua parte, o mundo pode melhorar. Eu estou fazendo a minha parte e espero que você ajude também afinal é por uma causa mundial.

É também produtivo acessar o site da ONU onde tem vários tipos de informações e artigos. Mas enfim, eu passei o que eu queria e espero que você tenha gostado. Não esqueça de deixar seu comentário caso tenha alguma dúvida. E obrigado a você por ler o artigo até o fim.

Fontes: transparency.org, factsanddetails.com

Quer Aprender Japonês?

2 Comentários

  1. Yuji

    Infelizmente no Brasil a lógica é contrária.
    No Japão o criminoso se sente envergonhado e pede desculpas.. no Brasil, o criminoso tenta se safar do crime e ainda ameaça os outros.
    É nessas horas que dá para ver que o mundo admira a cultura japonesa mas não querem aderir nem em âmbito micro (familiar).
    Impossível ter resultados diferentes fazendo a mesma coisa sempre né.

    Enfim, adoro esse site e sempre estou aqui lendo tudo.
    Obrigado!

  2. Kazuyuki fukamizu

    Esse assunto “corrupção” está intimamente ligado à cultura e a educação herdada dos pais que tem se fraquejada ao longo dos anos. No Japão dos anos 50 até 70 a educação era muito mais rígida, os estudantes eram obrigados a se retrataram de imediato se algo errado houvessem feito . Por aqui a política governamental tem passado a mão na cabeça dos infratores e é o cenário que presenciamos hoje no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *