17 Curiosidades sobre Saint Seiya (Cavaleiros do Zodíaco)


Curiosidades sobre Cavaleiros do Zodíaco

Cavaleiros do Zodíaco ou Saint Seiya (聖闘士星矢) foi um dos maiores animes que alcançaram um grande sucesso mundial, principalmente aqui no Brasil. Até hoje o anime é reverenciado como um dissipador dessa grande cultura de animes pelo mundo. Assim, como Dragon Ball, Naruto, One Piece, Sailor Moon e outros mais da velha guarda.

Adaptado do mangá escrito e ilustrado por Masami Kurumada na década de 80, Cavaleiros do zodíaco virou anime pela Toei Animation de 1986 a 1989. Mesmo que suas animações sejam pífias quando comparadas com as de hoje em dia, Saint Seiya continua a encantar as pessoas.

Se você é fã de Cavaleiros do Zodíaco, vai gostar de descobrir algumas curiosidades a respeito desse anime. Com certeza vai viver um momento nostálgico a partir desta leitura.

1. A tradição de manga virar anime

Pode ser difícil de assimilar, mas Masami Kuramada disse que não gosta de anime. Mas, felizmente, ele concordou em adaptar o mangá para anime graças a santa tradição de fazer um anime de praticamente todos os mangás, principalmente os grandes sucessos.

Outra curiosidade sobre Masami Kuramada é que no Japão ele não é muito famoso. Ele criou dezenas de mangás que fracassaram editorialmente. O sucesso só veio após Cavaleiros do Zodíaco, que serviu de inspiração para trabalhos futuros de Kurumada, como BTx.

2. Pai não tão exemplar

Esta é uma coisa que apesar de nunca ter sido mencionado no anime, os leitores do mangá sabem. Mitsumasa Kido, é pai dos 100 supostos órfãos. Os mesmos que ele mais tarde finge adotar antes de treina-los e enviá-los por todo o globo terrestre.

Eles ganharam armaduras e se tornaram santos, ou Cavaleiros, como preferir. Os santos de bronze são todos meio-irmãos com exceção de Shun e Ikki que têm a mesma mãe.

3. Sucesso no Brasil

A saga começou em 1986, com a publicação do mangá no Japão. O anime, adaptado pela Toei Animation, foi transmitido na TV japonesa de 1986 a 1989; e em diversos outros países nos anos seguintes, onde fez um grande sucesso, especialmente na América Latina.

No Brasil, o anime dos Cavaleiros do Zodíaco ganhou uma enorme popularidade. Tanto que continua sendo considerado um dos mais bem sucedidos animes que foram ao ar, empatados com a série Dragon Ball. Até mesmo, uma trilha sonora nacional foi lançada em 1995.

O anime foi exibido no Brasil pela extinta Rede Manchete entre 1994 e 1997. Sua exibição foi possível graças a uma permuta com a fabricante de brinquedos Samtoy, que produziu os bonecos da série, em troca da exibição dos comerciais da empresa.

4. Inspirado na mitologia grega e nórdica

A história de Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) foi inspirada na mitologia grega, mas também pega emprestado elementos de outras mitologias, como a nórdica. Embora as Doze Casas esteja localizada em uma área não identificada da Grécia, há momentos em que a história se estende para outros lugares, como a Sibéria e até mesmo Asgard.

5. Público-alvo

Embora a intenção original fosse atingir especialmente crianças, Cavaleiros do Zodíaco também agradou a muitos adolescentes e adultos por causa das suas histórias mitológicas.

6. Personagem Seya

O enredo se concentra em um órfão chamado Seiya, forçado a ir ao Santuário na Grécia para obter a Armadura de Bronze de Pégaso, uma veste usada pelos 88 guerreiros da deusa grega Athena, conhecidos como Cavaleiros. Segundo Kurumada, Seiya foi inspirado no personagem Takane Ryuuji, protagonista do mangá Ring ni Kakero, também de sua autoria.

No início do processo de criação do mangá, o nome Seiya seria escrito com os kanjis de “flecha sagrada”, mas posteriormente Kurumada mudou para os de “flecha estelar” (uma referência à constelação de sagitário, signo de Seiya e do próprio Kurumada).

7. A razão para o nome “Saint Seiya”

Kurumada escolheu o título para seu manga como “Saint Seiya” depois de desenvolver o conceito dos defensores de Athena, que são chamados de “Saints” na obra original.

Além disso, Kurumada afirmou que uma das primeiras ideias que concebeu para Saint Seiya foi o Meteoros de Pégaso. Uma vez que seu mangá iria usar constelações como destaque, ele queria que o protagonista tivesse um golpe que seria como uma chuva de meteoros.

8. Episódios

Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) rendeu 28 volumes de mangás. Os 18 primeiros volumes foram adaptados em 114 episódios de anime. Os 10 volumes finais foram adaptados em 31 OVAs (animes de longa duração que são lançados diretamente no mercado de vídeo).

9. Camus de Aquários

Em cavaleiros do zodíaco, Camus, o santo ouro dos aquarianos é um dos poucos santos franceses e faz referência ao Albert Camus, um dramaturgo, romancista e ensaísta francês nascido na Argélia. Outro notável é Enevoed, o Santo de prata dos lagartos.

10. Coleção e Produtos

CDZ também conta com o mangá Os Cavaleiros do Zodíaco: Episódio G, Saint Seiya: Next Dimension, Saint Seiya: The Lost Canvas e Saint Seiya Omega, com a história da geração seguinte à de Seiya. Ainda existem cinco filmes da saga, um livro e um musical.

Com a febre nos anos 90, as prateleiras das lojas de brinquedos eram cheias de produtos derivados de CDZ, sendo os bonecos os principais. Também houve um álbum de figurinhas e ainda há jogos para o PS2, PS3, além de zilhões de jogos online criados por fãs.

11. Prêmio

Os Cavaleiros do Zodíaco foi considerada a melhor série no Anime Grand Prix de 1987. Masami Kurumada também recebeu o prêmio de melhor inspiração com seu mangá Ring ni Kakero.

12. Mudanças nas armaduras

As armaduras sofreram algumas alterações, especialmente quando as armaduras de bronze batidas foram revividas com o sangue do cavaleiro de ouro de Áries. Depois da batalha do santuário, seu design mudou com o intuito de fidelizar ao manga e com a Saga de Poseidon.

13. A Saga de Asgard

A saga de Asgard não foi criada diretamente por Kurumada. Na época, Kurumada ainda trabalhava em Posseidon e como a produção do anime estava adiantada, quase em tempo real com o mangá, a Toei Animation não quis esperar e inspirando-se no filme do CDZ, A Grande Batalha dos Deuses, resolveu criar a saga para Kurumada a fim de preencher essa lacuna.

14. A armadura de Fenix

O sangue pode regenerar uma armadura destruída, mas há uma exceção notável: a Armadura de fênix que pode se regenerar sozinha, mesmo quando reduzida a cinzas. E não acaba por ai, ela aparenta emprestar seus poderes de regeneração e imortalidade ao seu portador.

15. Armadura de um único mestre

Em cavaleiros do zodíaco, as armaduras de bronze são usadas ao longo dos séculos por gerações de jovens santos. Porém, armadura de fênix foi usada apenas por Ikki.

16. Nova série CDZ na Netflix

Até setembro de 2019, a Netflix disponibilizará a série “Knights of the Zodiac: Saint Seiya”. Serão 12 episódios de meia hora e trama retratará o primeiro encontro dos Cavaleiros de Prata – grupo conhecido por ter um nível mais elevado em habilidades de luta que os demais.

17. A polêmica sobre Andrômeda

Na nova série da Netflix, o cavaleiro Shun será uma mulher chamada Shaun. Embora Shun use uma armadura rosa e seja considerado mais delicado do que os outros, a mudança de gênero de um dos principais heróis do anime original não agradou muito a maioria dos fãs.

O roteirista e produtor defendeu que a decisão não interferiria nos conceitos principais de Saint Seiya que fazem a série ser amada e que fazem sentido mesmo depois de trinta anos. Mas como se sabe os Cavaleiros de Bronze com Seiya de Pégaso são todos homens.

Então pensaram que Andrômeda Shun poderia se tornar Andrômeda Shaun, sem que isso alterasse os conceitos principais do personagem. Apesar das críticas, o roteirista pede que os fãs esperem o lançamento para ver a série e tirar suas próprias conclusões.

E aí? Gostou das curiosidades sobre Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya)? Compartilhe conosco mais informações sobre esta obra que tornou-se tão popular no Brasil. 🙂

Fontes: wikipedia.org, super.abril.com.br

Quer Aprender Japonês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *