Por que os japoneses não odeiam os americanos?


Por que os japoneses não odeiam os americanos?

Por que o Japão não odeia os EUA por terem lançado as bombas atômicas?
Sempre que chega o mês de agosto, aniversário do lançamento das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki, muitas pessoas ficam com aquela dúvida martelando na cabeça… Por que o japoneses não odeiam os americanos por terem lançado duas bombas atômicas sobre duas cidades, matando mais de 200 mil civis? E mais ainda: Por que os japoneses idolatram tanto os americanos?

Para muitos, esse tipo de coisa parece inconcebível e difícil de compreender. Como o Japão e EUA podem ser aliados mesmo com todas as tensões envolvidas no passado? A partir daí, percebemos que o sentimento anti-americano está muito mais em nós do que nos próprios japoneses.

Podem ser muitas as razões para essa boa relação, dependendo do ponto de vista de cada um, é claro. Mas com certeza existem interesses políticos e econômicos por trás da aliança entre as duas potências. E segundo enquetes anuais realizadas pela Pew Research Center, a maioria da população japonesa vê as relações diplomáticas entre os dois países com bons olhos e com muita simpatia.

Japão – Transformações radicais durante o pós-guerra

Contra fatos não há argumentos. Os japoneses, em sua maioria, gostam da cultura americana e parecem não guardar nenhum rancor em relação às bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki. É difícil explicar qual o verdadeiro sentimento por trás disso. Alguns acham que o Japão faz bem em agir assim. Já outros, se sentem desconfortáveis e até indignados com essa situação.

As bombas atômicas foram de fato uma grande atrocidade. Isso não resta dúvidas. Mas depois da rendição, o Japão passou por muitas transformações políticas, econômicas e educacionais importantes. O fim da guerra foi marcada por muita destruição e morte de milhares de vítimas inocentes mas por outro lado, o fim da guerra trouxe o pacifismo, o democratização e a prosperidade ao Japão.

Por que os japoneses não odeiam os americanos?

Durante a Era Showa, que por ironia significa “período iluminado de paz/harmonia), o Japão foi tomado pelo totalitarismo político, ultranacionalismo e imperialismo militar, culminando na invasão japonesa da China em 1937.

As atrocidades cometidas pelo regime militarista japonês à China, Coreia, Vietnã, Malásia e outros países da Ásia, ainda são feridas abertas que não cicatrizaram e nem serão, pelo andar da carruagem…

Nesta época, a sociedade japonesa era uma nação oprimida pelo Império e pelo regime militar.

O Imperador era tratado como uma espécie divindade e todos deviam-lhe obediência e se preciso fosse, eram obrigados a dar a vida por ele.

Aliás, o suicídio em massa era uma das táticas de guerra incentivada pelos militares. Os soldados japoneses também estavam condicionados a não se render e deveriam lutar até a morte.

A doutrina militar e a adoração ao Imperador estavam dizimando com a população japonesa aos poucos e se o desfecho da guerra tivesse sido outro, talvez o Japão não fosse hoje uma super potência e muito menos teria adotado uma política democrática e pacifista tal como é hoje em dia.

Claro que só podemos fazer suposições, já que não é possível prever o que teria sido do Japão, caso a guerra tivesse tomado outros rumos. Mas creio que apesar de tudo, muitos compartilham da opinião de que o Japão não poderia ganhar a guerra, especialmente por ser aliado dos nazistas alemães e compartilhar o mesmo pensamento de expansionismo e hegemonia sobre os demais países.

Japão – Um passado nacionalista e militarista

Os japoneses, em sua maioria, não se orgulha nem um pouco do seu passado nacionalista e militarista. No fundo sabem que se o país seguisse com esse regime, as consequências poderiam ter sido muito mais desastrosas do que o efeito de duas bombas atômicas juntas. Haveria sim o apoio de grupos nacionalistas, mas a maioria da população sofreria muito nas mãos desse regime opressor.

Quanto ao Japão e aos Estados Unidos, ficaram algumas lições: Mais importante do que ser derrotado em uma guerra é a maneira como o país vai ser conduzido durante o período caótico do pós-guerra. E pelo menos nesse ponto, o Japão deu o melhor de si e conseguiu dar a volta por cima.

Arregaçou as mangas e aceitou a ajuda do seu “inimigo” para se reerguer. Acho que o “reconhecimento da derrota”, o “espírito de coletividade” e a “não vitimização” ajudou todos a concentrarem suas forças na reconstrução do país. O país também aprendeu a nunca subestimar seus inimigos.

Em uma guerra, não existe certo ou errado, e muito menos vencedores. Existe a ganância daqueles que estão no poder, querendo sobrepujar seus inimigos de todas as formas possíveis, mesmo que seja às custas das vidas de milhares de civis inocentes. Isso vale também para o Japão, que ficou manchado pra sempre em razão dos crimes de guerra bárbaros praticados contra os países vizinhos.

Uma vez que não há como voltar no tempo e mudar os rumos da história, o importante é deixar o rancor de lado, seguir em frente e lutar por um mundo melhor para as futuras gerações. 😉 E você? Qual sua opinião sobre esse assunto? O que acha da relação entre o Japão e os Estados Unidos? 🙂

Quer Aprender Japonês?

21 Comentários

  1. Nara

    “Seria humilde aquele que percebeu e aceitou a derrota sabendo que estava indo pelos maus caminhos, e não deixar seu povo carregar o fardo nas costas sendo verdadeiro com a futura geração.” Melhor exemplo disso são os filhos de nazistas alemães que podem fazer uma nova história de paz e sabedoria. Essa é a grandeza do ser humano que não herda o passado, mas deseja reconstruir uma nova história. Eu não diria que idolatrar é o caminho. O respeito, a admiração, o carinho pelo país alheio e seu povo seria perfeito para demonstrar boas relações entre vizinhos. O país que era fechado em si e ainda resiste à uma hegemonia de raças, vai levar um bom tempo para assimilar a globalização no que tange a miscigenação de raças e a importância da mulher em carreiras de liderança. Um japonês como qualquer outro cidadão de qualquer nacionalidade, que queira construir seu sonho na América conseguirá com facilidade, mas o contrário não é bem assim, a mesma facilidade não ocorre com estrangeiros no Japão. Mas, é claro, tudo isso é uma questão interna e internacional de como seus governos regem a política e economia do país, não estou dizendo o que é certo e errado, embora minha opinião seja sólida não faria diferença.

  2. Há muito tempo, quando eu era estudante de Jornalismo, entrevistei um sobrevivente de Nagasaki residente no Brasil e perguntei se ele tinha rancor dos americanos. Ele respondeu que não e eu perguntei o porquê. Ele me disse que era uma guerra – se os japoneses tivessem a bomba, e não os americanos, também não teriam hesitado em lançar. E que provavelmente fariam esse teste em uma cidade maior, como Nova York.
    Eu percebi uma noção muito clara de que os homens são todos iguais e todos podemos cometer erros. Para mim, pessoalmente, foi uma grande lição.

  3. Japão em Foco

    Oi Samara
    Verdade. Em uma guerra, a ganância pelo poder sempre fala mais alto e por causa dessa ganância o ser humano é capaz de praticar as piores barbaridades.

  4. Rosa Sani

    Ha uns anos atras, uma japonesa me falou no jeito calmo, contido e verdadeiro do povo japonês: ” hoje tenho certeza que só algo tão forte quanto uma bomba atômica, poderia ter posto o fim da guerra no nosso pais… Com o sentimento de orgulho existente no nosso povo, jamais teríamos nos rendido… Quanto tempo mais teríamos continuado? Quantas mais pessoas teriam morrido?” Nunca esqueci destas palavras e comecei a entender melhor o povo japonês, um povo que sente vergonha do ataque a Pearl Harbor e chora…

  5. jorge t.hino

    Há uma frase que cabe muito bem neste caso, ” não guardo rancor, mas não tenho amnésia”.

  6. Lia

    Eu acho que os EUA controla o Japão, assim como muiiiiiiitos outros países; um país mais fominha e oportunista como ele não há… Eu odeio os EUA, sinceramente…

  7. jorge t.hino

    Quando eu morei no Japão, perguntei a um senhorzinho que trabalha na mesma fábrica, por que os japoneses não odiavam os americanos, afinal eles haviam jogado duas bombas atômicas, que vitimaram centenas de milhares de pessoas. E ainda sofreram a humilhação da derrota ?
    O senhorzinho respondeu:
    Quando o Japão derrotava e ocupava um país, os soldados cometiam atrocidades com a população local e os americanos não fizeram isso e até foram bonzinhos com nós.
    Dizimar as populações de Hiroshima e Nagasaki não é atrocidade ?

  8. Eu tinha apenas 3 anos quando tudo isto aconteceu, mas eu guardo sempre em minha mente a dor
    e o medo dos resultados de uma guerra. Amo o Japão e admiro sempre este povo exemplo de superação coragem e sabedoria, e dói muito pensar que quem pagou por tudo foram pessoas idosas, mulheres e crianças que nada tinham a ver.
    Acho que não tinha necessidade de destruir duas cidades par vencer a guerra, eu particularmente odeio esses famigerados Yankees .

  9. Tutomu

    O Japão era dominado por 10% da populacão donos de terra que Odeiam os Americanos, mas 90% da população que eram MEIEROS adoram os americanos devido a reforma agrária imposta através do General Americano que se tornaram donos das terras onde plantavam. Por esse motivo podemos ver as diversas plantações toda fragmentadas onde cada família receberam essas pequenas glebas que dificilmente ultrapassam alguns ARES. Raramente vemos famílias donos de HECTARES de terras. Quissas ALQUEIRES . Do dia para noite de meieros serem donos quem não sente agradecidos. Eis a razão .

  10. Ricardo Olsson

    Acredito em algo mais profundo, Japao e um povo inteligente e antigo e sabe como ganhar uma guerra sem bombas, lentamente eles adotrinarao Asia de tecnologia e saber, ensinou a trabalhar rapido ,barato e cada ves melhor, hoje a industria asiatica desestabilizou comercialmente os americanos, judeos, e europeios, em pouco tempo eles dominarao o mercado total ,

  11. Roger

    QUem sabe os E.U.A. tambem não jogue umas 10 bombas nucleares aqui, so pra ver se o brazil vai mudar em alguma coisa !!!

    OBS: no japão a coisa mudou ( e muito ) pra melhor !!!

  12. Nara

    Mostrei esse texto a uma amiga, e ainda concordamos o seguinte. Quando a gente olha para os japoneses num modo geral, a gente associa a um povo pacato, anti-guerra. Acreditamos que muitos japoneses eram contra o imperalismo da época, mas por força imperial tiveram que se submeter à guerra e morreram em nome da ‘honra’. Muito sangue inocente foi derramado, e depois da guerra, o imperador não fomentou o ódio, e as futuras gerações colheriam o benefício de um Japão se reerguendo na prosperidade e na paz. Isso é de admirar! Quanto às feridas abertas entre Japão e demais países asiáticos, esperamos que no futuro as relações internacionais tragam mais aberturas para se ter um bom relacionamento entre seus povos. Parabéns pelo texto. Maravilhoso! Eu gostei muito de ler sobre o tópico da bomba de Hiroshima, acho que esqueci de comentar, vou procurar o tópico.

  13. keity

    BOM DIA !!!
    Meu pensamento: A guerra é resultado muito forte da ganância do homem que acredita muito no poder material. Não vamos levar nada desta terra mas o homem acredita em seu poder e passa para gerações. Eu trabalhei no Japão em hospitais, fiz meu trabalho com coração e fui muito bem remunerada. Minha raíz é nipônica e amo todos os ensinamentos legados por meus pais que eram descendentes da ilha de Okinawa que tive oportunidade de visitar e fiquei maravilhada com o povo. Ao sair do hospital para voltar ao Brasil fiquei surpresa pois as enfermeiras se enfileiraram e uma a uma me agradeceram dizendo: Arigatou por ter vindo servir ao povo japonês. E eu me considerando japonesa por meus traços orientais. Hoje entendo muito mais através dos undokais que participei aqui no Brasil o quanto é mais importante participar do que ganhar qualquer competição … e é isso que vejo na minha raíz nipônica que mesmo no futebol fica-se muito mais feliz em participar do jogo do que competir e que vença o melhor sem guerra … pois como diz o nosso hino a guerra só nos causa dor. Eu acredito que um dia seremos todos uma nação universal de mãos dadas e unidas sem fazer diferença de nada … A paz e a Harmonia é necessária para o nosso progresso em todos os sentidos …

  14. stefanobahia

    Curiosidade: na virado do século XIX pro XX…Japão, EUA e Europa dividiram a China “amigavelmente”… apesar das divergencias. Todos se uniram pra esmagar os Boxers. ( alguns dos paises que se uniram contra os boxers eram inimigos ferrenhos)

  15. Jorge Nakayama

    Depois da Era dos Samurais, o Japão se militarizou com objetivo de proteger os Senhores Feudais. Como resultado, o povo japonês era dominada pela casta que representava menos de 10% da população, portanto lhes era incutida a idéia de que o imperador era um ser celestial, doutrina que facilitava muito o total controle das massas trabalhadoras. Significava que 90 % do povo não eram donos de terras, e, não tinham esperança de algum dia ser dono de seu próprio chão. Nesse contexto, a maioria dos japoneses não tinham a verdadeira noção das consequências de uma guerra mundial, por ser um país avesso a abertura ao ocidente. Um dos militares que tinha vasto conhecimento do Ocidente alertou sobre “Despertar o Gigante” se referindo aos EUA, mas foi parte vencida quando o Japão atacou Pearl Harbor depois do embargo do petróleo ao país, imposta pelos americanos. Com o fim da guerra, os japoneses, que sempre se reerguem após tantas tragédias como tsunamis, terremotos, maremotos, tratam de olhar para o futuro e superar o passado, sem esquecer as lições aprendidas com seus erros. No pensamento do japonês, a guerra, assim como as tragédias naturais, sempre é lição para aprender e minimizar as consequências, pois todos são perdedores.

  16. zenki heshiki

    Meus pais são descendentes da ilha de Okinawa, pergunto: porque os EE.UU mantem uma base Militar na Ilha de Okinawa, na cidade de Naha.

  17. Carlos Muramatsu

    E claro, a bomba foi a salvação de um povo fanáticos pela honra e poder.

  18. Arnoud Batista

    “Em uma guerra, não existe certo ou errado, e muito menos vencedores.”

    Do ponto de vista humano talvez, mas se você acredita em assuntos espirituais, mais precisamente falando da Bíblia, vai entender que sempre haverá o lado certo e o errado da história.

  19. Rodolfo

    Concordo com os que dizem que o japão era dominado por um governo autoritário, mas não acho que seja só esse o motivo, nem o motivo da filosofia de guerra é guerra, então sem rancor se perder.
    Acho que um grande motivo foi a hegemonia cultural americana no pais depois de vencer a guerra, que durante essa “ajuda” que os americanos prestarão acabaram meio influenciado os japonese, impondo sua cultura e politica!
    Concordo que não deveriam mesmo guardar rancor, mas NÃO JUSTIFICO O USO DAS BOMBAS, como alguns comentários acima tentam justificar…

  20. Pelo que os japoneses fizeram no massacre de nanquim, por mim esse país deveria ser varrido do nosso planeta.

  21. xxx

    toda a guerra é suja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *