Por trás da política, cultura e atualidade japonesa!

Kátia Kishi

A visão geral que muitos brasileiros têm sobre o Japão se restringe ao que mais se popularizou no exterior, como as comidas exóticas, as animações de sucesso ou traços culturais que, muitas vezes, ficam restritos apenas ao passado.

Porém, como todo país, o Japão tem mais a oferecer e isso é o que foram descobrir 10 jovens da América Latina e Caribe no início do ano, quando embarcaram para as terras nipônicas em um programa oferecido pelo Ministério de Negócios Estrangeiros do Japão, mais conhecido pela sigla em inglês MOFA – Ministry of Foreign Affairs.

O “Programa de Convite ao Japão para Descendentes das Américas Latina e do Caribe” de 2018 foi o mais concorrido de todas as edições, em especial na região atendida pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo, onde se concentra a maior comunidade nikkei (descendente de japoneses) fora do Japão.

Uma das selecionadas de 2018 foi a jornalista Katia Kishi, joseense que atualmente mora em Campinas e tem um canal de cultura japonesa no YouTube chamado “Zatsudan Now!”.

Ela foi aprovada depois de sua sexta tentativa no mesmo edital para se juntar a uma delegação formada por outros quatro brasileiros (de São Paulo, Londrina, Belém e Recife), uma peruana, um boliviano, uma argentina, uma dominicana e um mexicano para sete dias intensos de compromissos diplomáticos, culturais e tecnológicos no Japão, principalmente em Tóquio e Fukushima.

Entre as atividades, incluem-se diversas visitas com altas autoridades políticas e representativas do Japão, como a recepção do príncipe Akishino e da princesa Mako na residência oficial da Família Imperial Japonesa. Também se destaca a reunião exclusiva dos brasileiros com o embaixador André Aranha Corrêa Lago e sua equipe que debaterem os desafios da embaixada brasileira no Japão.

Um dos maiores problemas relatados se refere à promoção de um melhor desempenho das crianças e jovens brasileiros na escola, sendo necessárias parcerias diretas com cada cidade japonesa que recebe imigrantes brasileiros; as ações se baseiam em estudo conduzido pelo economista da Universidade de Brasília (UnB), Maurício Soares Bugarin e entregue aos bolsistas pela embaixada brasileira.

Ainda sobre os pontos políticos abordados no programa, Kátia Kishi destaca como foi importante para sua experiência pessoal e profissional debater com especialistas como é desenvolvida a diplomacia japonesa para a América Latina, região que o governo japonês vê os nikkeis como pontes para uma boa relação bilateral com o Japão para promoção de novas parcerias, com base na política externa chamada “JUNTOS”, promovida pelo primeiro-ministro Shinzo Abe.

Entre as atividades culturais e futurísticas, os jovens nikkeis também conheceram a cidade inteligente “Kashiwa-no- ha”, localizada em Chiba e que oferece espaços com tecnologias sustentáveis para integração da comunidade em forma de trabalho, comércio e atividades físicas para todas faixas etárias.

Em outro momento, também foram desbravar a história nipônica no Museu da Migração Japonesa da JICA (Japan International Cooperation Agency) em Yokohama, local que além da exposição mantém uma biblioteca com registro de todos migrantes, o que permitiu o resgate da história familiar de cada bolsista.

Na capital japonesa, os bolsistas ainda visitaram os estádios em construção e o escritório oficial dos jogos olímpicos e paralímpicos de Tóquio 2020, quando os assessores explicaram o que aprenderam com os brasileiros nos últimos Jogos Rio 2016 e o que esperar de Tóquio com as campanhas para engajar os japoneses nos Jogos, tendo como exemplos a votação nacional entre as crianças sobre quais deveriam ser as mascotes e a arredação de celulares velhos para o desenvolvimento de medalhas com material reciclado.

Outras atividades interessantes para a jornalista ocorreram durante a viagem à província de Fukushima, onde teve a oportunidade de conhecer e presentear o governador Masao Uchibori, que explicou os esforços de reconstrução da província.

Lá, os bolsistas visitaram o Centro de Revitalização de Fukushima que concentra a história do acidente, quais áreas foram recuperadas e liberadas ou estão em processo, que atualmente garantem plantações seguras com previsão de mais investimento da província em energia sustentável.

O contato com os vilarejos de Fukushima, moradores e proprietários de uma tradicional pousada japonesa com águas termais, onde os bolsistas se hospedaram, também foi importante para aprenderem sobre a província com a boa receptividade japonesa e o tradicional saquê, vale lembrar que a bebida de arroz fermentado de Fukushima ganhou pela 5ª vez como o melhor de todo o Japão.

A agenda dos bolsistas estava lotada do início ao fim, com outras visitas de cortesias e debates com especialistas para uma ampla compreensão do Japão atual que vale ser explorada. Agora, de volta ao Brasil, a jornalista busca parcerias para compartilhar essas experiências a fim de mais brasileiros terem contato com esses conhecimentos e experiências sobre política, cultura e atualidade japonesa.

Sobre o programa:

O “Programa de Convite ao Japão para Descendentes das Américas Latina e do Caribe” teve sua 6ª edição em janeiro de 2018, sendo que ele acontece duas vezes por ano com inscrições em julho e em novembro.

O objetivo desse programa oferecido integralmente em inglês é aumentar a compreensão do Japão e suas políticas nos países com maiores comunidades nikkeis, utilizando como ponte de diálogo os jovens descendentes engajados nas atividades nipo-brasileiras para disseminar o aprendizado em suas regiões.

Os bolsistas não tiveram custos com a viagem, mas, em contrapartida, devem divulgar os aprendizados amplamente.

A jurisdição atendida pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo (Estados de SP, MT, MS e região do Triângulo Mineiro) é sempre a mais concorrida dos programas internacionais voltados para a comunidade nikkei, visto que é onde se encontra a maior concentração de descendentes japoneses fora do Japão.

Para o programa de Janeiro de 2018, o Consulado em São Paulo recebeu quase 400 inscrições para apenas duas vagas disponíveis, por exemplo. (Saiba mais sobre o processo seletivo neste vídeo.)

Sobre a bolsista:

Kátia Kishi (27)
Jornalista especializada em ciência e mestra em divulgação científica e cultural. Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UNESP, pós-graduada em Jornalismo Científico pela UNICAMP e com mestrado em Divulgação Científica e Cultural também pela UNICAMP.

Possui um projeto de divulgação da cultura japonesa no YouTube chamado “Zatsudan Now!”, um canal de curiosidades
onde compartilha vivências de intercambistas japoneses no Brasil e de brasileiros no Japão, além de outros temas relacionados, como as experiências vivenciadas durante seu intercâmbio no Japão. Kátia foi aprovada para participar do Programa após 6 tentativas ininterruptas.

No momento, Katia tem duas palestras confirmadas em Campinas SP

20 de abril (sexta) às 12h
Local: Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp (Anfiteatro do IEL)
Endereço: R. Sérgio Buarque de Holanda, 511 – Cidade Universitária, Campinas – SP
Organização: Benkyoukai CEL Unicamp

21 de abril (sábado) às 14h
Local: Instituto Cultural Nipo Brasileiro de Campinas (Salão de Eventos do Nipo)
Endereço: R. Camargo Paes, 118 – Jardim Guanabara, Campinas – SP
Organização: Seinenkai Nipo, Seinenkai Okinawa e JCI Campinas
Link do evento: https://www.facebook.com/events/1823787964589575/

Para maiores informações, entre em contato:
Kátia Kishi
E-mail: katiakishi@gmail.com
Skype: katia.kishi@hotmail.com
YouTube: Zatsudan Now!

Quer Aprender Japonês?

3 Comentários

  1. Joao marcos

    acho bem interessante saber as experiencias dos outros… em 2020 planejo estar lah para ver as olimpiadas e olhar o pais ate 2028 pretendo ja estar formado e morando no japao… ate lah falta muito estudo ainda…

  2. Clóvis Tristão

    Uma belíssima experiência, meus parabés Kátia.

  3. Amo tdo relacionado ao Japão!
    Quero deixar meu sincero agradecimento.
    Walkyria Lopez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *