Brasileiros envolvidos em crime da Yakuza foram presos


Já ouviram aquele ditado: A justiça tarda mas não falha? Pois é! Após 10 anos foragidos, dois brasileiros nikkeys foram presos dia 4 de outubro, pela Interpol no Brasil. Os dois estavam no interior se São Paulo. Cristiano Ito, ( javali ), 35 anos, foi encontrado em Mogi das Cruzes e Marcelo Cristian Gomes Fukuda, 31 anos, estava em Campinas.

O crime aconteceu em 4 de junho de 2001, exatos 10 anos e a vítima foi o comerciante Yoshitaka Kawakami. Na época, o crime causou bastante repercussão devido à violência e pela morte ter sido causada por uma pistola, algo incomum no Japão, por ser totalmente proibido a entrada de armas de fogo no país.

Segundo a polícia de Tóquio, o mandante do crime foi Tetsuo Ikebe, irmão gêmeo da vítima. Ikebe guardava muito ódio do irmão desde a infância. O motivo de tanto ódio, não se sabe ao certo, mas pode ter ligação ao fato de Ikebe ter sido adotado pelos avós.

Ikebe então recorreu à Mafia Japonesa Yakuza para que desse fim ao irmão, que por sua vez contratou os dois brasileiros para executar o crime.

Seguindo as instruções dadas pelo mandante e a Yakuza, os dois invadiram o apartamento do comerciante às duas da manhã e deram tiros no casal, que estava dormindo.

A esposa ainda foi asfixiada, espancada na cabeça com coronhadas, mas apesar dos graves ferimentos, sobreviveu.

Cada um recebeu 3 milhões de ienes (cerca de 71 mil reais) e embarcaram dois dias depois do crime para o Brasil, com ajuda da máfia.

Em 2003, o irmão gêmeo foi preso como mandante do assassinato e recebeu uma condenação de 20 anos de prisão. A polícia japonesa acredita que 9 pessoas estavam ligadas ao crime, incluindo integrantes da máfia japonesa.

Ao saber da fuga dos brasileiros, a polícia japonesa acionou a Interpol (Polícia Internacional) e a captura só foi possível após cruzar muitas informações do serviço de inteligência com a polícia brasileira.

Apesar de não haver tratado de extradição entre Brasil e Japão, os dois brasileiros, serão julgados e vão responder ao crime, em território brasileiro, cada qual de acordo com sua participação no crime. Um dos nikkeys, Cristiano Ito, possui uma tatuagem que caracteriza a Yakuza, localizada na nuca e parte de sua cabeça.

Esse já é o sexto crime, em que brasileiros respondem no Brasil, por crimes feitos no Japão. Por outro lado, existem muitos brasileiros que se envolvem com a maior facção criminosa no Japão, a Yakuza.

Quer Aprender Japonês?

1 Comentário

  1. Pingback: Filme sobre a Máfia japonesa Yakuza - Outrage | Curiosidades do Japão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *