Janelas e seus significados na arquitetura japonesa

Janelas e seus significados na arquitetura japonesa

Como sabemos, muitas características da arquitetura japonesa tem influências de crenças xintoístas e budistas. Podemos perceber isso através do uso da madeira em sua forma bruta, e também na forte ênfase na relação dos seres-humanos com a Natureza.

Um outro exemplo são as janelas que na arquitetura japonesa, desempenham um papel que vai além de iluminar ou ventilar o ambiente. As janelas são um convite para apreciar a Natureza, que por sua vez oferece um cenário único e magnífico a cada estação do ano.

De belas flores de cerejeira na primavera para árvores verdes do verão. Das folhas de outono coloridas para a tranquilidade da neve caindo no inverno. Sem dúvidas nenhuma, o cenário visto a partir da janela tem um simbolismo muito importante neste tipo de arquitetura.

Muitas vezes, comparadas à um quadro ou a uma obra de arte, as janelas permitem que a Natureza do lado de fora se integre à arquitetura tradicional do lado de dentro. Por possuir um grande significado não só pelo design como também por exalar uma certa espiritualidade, resolvemos mostrar alguns exemplos de janelas que podemos encontrar no Japão.

Yukimi Shoji (janela de neve)

Yukimi Shoji (pinterest.ch)

Yukimi Shoji significa literalmente “janela para contemplar a neve”. Yukimi Shoji foi desenvolvido para que se possa ver a paisagem de neve a partir do conforto de dentro da sala através de uma peça de vidro instalada diretamente dentro do Shoji. Desta forma é possível ver os flocos caindo em silêncio e apreciar o lindo tapete branco se formando sobre o chão.

Kazari Shoji (Janela Decorativa)

Kazari Shoji (woman.excite.co.jp)

Kazari Shoji (Janela decorativa) é por si só uma verdadeira arte. A luz do sol filtrada através da janela do lado de fora, enfatiza os belos desenhos.

Meigetu-in, Kamakura

Salão Principal para cerimônia do chá de Meigetsu-in (japan-guide.com)

Meigetu-in, conhecido como Templo das Hortênsias, possui um salão principal (Hojo) e uma bela janela circular, que enquadra um pedaço do cenário do belo jardim externo, onde as cores se transformam com a chegada de uma nova estação.

No budismo, a janela redonda chama-se “Enso” e representa o Macrocosmo e o Mundo Zen, ou o Mundo da Iluminação. Em suma, um “Enso” define o estado de Espírito zen.

Janela Circular do Meigetsu-in (Flickr yayayamamamama)

Unryu-in, Kyoto

Janelas do Templo Unryu-in (Flickr Kyoto-Picture)

As janelas localizadas no Lotus Room, em japonês “Renge no Ma”, no Templo Unryu-in, em Kyoto, são realmente encantadoras. São quatro janelas quadradas situadas na parte inferior de painéis shoji, que permitem apreciar o jardim sob óticas diferentes.

Genkou-an, Kyoto

A janela da iluminação espiritual e a janela da perplexidade (favim.com)

O templo Genkou-an, em Takagamine, Kyoto, oferece aos visitantes a oportunidade única de refletir sobre si mesmos e sobre o mundo. E no salão principal do templo, podemos sentir o espírito japonês refletido em duas janelas: “Satori no Mado” e “Mayoi no Mado”.

“Satori no Mado” é uma janela circular denominada como a “Janela do Iluminismo” ou “Janela da Iluminação Espiritual”. No Zen Budismo, o círculo representa uma figura inocente, sem preconceitos, que expressa ideias iluminadas e evolução espiritual.

Em contraste, “Mayoi no Mado” é a janela retangular, chamada de “Janela da Ilusão” ou também chamada de “Janela da Perplexidade”. O retângulo simboliza a “vida humana”.

Segundo a crença budista, os quatro cantos do retângulo simbolizam as “Quatro Nobres Verdades do Budismo”, expressando as quatro dores que o ser humano enfrenta ao longo da vida e que não há como escapar: nascer, envelhecer, adoecer e morrer.

Bom, espero que você tenha gostado de conhecer um pouquinho mais sobre a arquitetura tradicional japonesa e o significado de alguns designs de janelas que a compõe. Se gostou, não deixe de comentar abaixo e não esqueça de compartilhar com os amigos! 🙂

Fonte: tsunagujapan.com

Quer Aprender Japonês?

2 Comentários

  1. Carlos Abreu

    Fiquei com dúvida se é possível chamar a ausência de uma parede de janela (rs) – já que janela (‘mado’ na língua japonesa) conceitualmente é uma abertura em uma parede (com diversas finalidades). Lembrando que, até onde eu sei, na antiguidade, dependendo da cultura e da região, as casas não tinham janelas como conhecemos. Bastante interessante o post.

  2. Pingback: 7 Princípios da Estética Japonesa | Curiosidades do Japão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *