Karakuri – Os fantoches mecânicos do Japão


Karakuri

Karakuri – Os bonecos mecânicos japoneses

Você sabe o que são os Karakuri? São bonecos autômatos, ou seja, fantoches ou marionetes que funcionam com um mecanismo semelhante ao dos relógios. No Japão, o Karakuri são feitos artesanalmente, onde se utiliza madeira e uma engrenagem mecânica com o uso de molas, água, areia, mercúrio e ar.

O Karakuri significa truque ou mecanismo e Ningyo, separadamente significa pessoa e forma, que nesse caso pode ser substituído por boneco, fantoche ou marionete. Karakuri Ningyo, tem como principal objetivo, entreter e causar surpresa nas pessoas, através dos seus gestos, acrobacias ou truques de mágica.

História e origem da arte Karakuri

Conta-se uma lenda, que no século XII, um príncipe já idealizava a criação de um Karakuri, em um período difícil que sua comunidade estava passando.

Uma grande seca arruinava as plantações e então o príncipe imaginava um grande boneco, capaz de carregar dois baldes cheios de água, que caminhava em meio a plantação e em um determinado momento virava os baldes, irrigando a plantação.

Segundo contam, o príncipe criou o boneco e com isso conseguiu unir toda a sua comunidade, que passaram a ajudar, revezando-se para encher os baldes de água e levando até o boneco, para que ele pudesse realizar sua proeza.

Claro que são lendas pois não há nada que comprove a veracidade desses fatos.

O que sabemos é que os Karakuri Doll ganharam popularidade de fato por volta do século XVII, mais exatamente em 1662.

Foi nessa época que começaram a ser realizadas em Doutonburi, em Osaka, apresentações teatrais, que ficaram conhecidas como “Takeda Karakuri“, cujos bonecos eram produzidos pelo artesão japonês Oumi Takeda, um famoso fabricante de relógios.

As apresentações caíram no gosto do público e devido ao grande sucesso, continuaram a ser realizadas por muitos anos consecutivos. A atuação dos bonecos, segundo contam era com tanta perfeição, que conseguiam sensibilizar o público, mesmo sem expressões faciais e com gestos padrões e repetidos de dança.

Além de apresentações com dança e acrobáticas, realizavam também truques de mágica. Não é a toa que o Karakuri, ganhou esse ar de magia e misticismo. Certos bonecos, chegam a dar até certo receio, pois parecem ter vida, apesar dos movimentos mecânicos, devido às lendas e mitologias a que estão envolvidos.

Tanto que foram criados algumas categorias de Karakuri, uma delas é o Dashi Karakuri, usados até hoje em Matsuri (Festivais), onde ficam em cima de carros alegóricos. Existe também o Zashiki karakuri, o Karakuri feito para uso doméstico e Shibai karakuri que é feito para apresentações teatrais.

Se tem conhecimento que a primeira boneca Karakuri, foi desenvolvida para servir chá, especialmente em cerimônias de chá e são chamadas de Chahakobi Ningyo.

Veja exemplos de Karakuri no vídeo abaixo

Com certeza , esses primeiros bonecos Karakuri foram a origem da tecnologia no Japão no quesito robótica, ou seja, os Karakuri nada mais são do que os tataravôs dos robôs ultra desenvolvidos que vemos hoje em dia. Infelizmente, hoje em dia não existem muitas réplicas do Karakuri do período Edo.

As poucas encontradas são tratadas como um verdadeiro tesouro e estão guardadas em museus para apreciação pública, como o Museu Karakuri em Nagoia, próximo ao Castelo de Inuyama. Na primavera também ocorre o Dashi Karakuri Festival, onde os Karakuri reconstituem histórias de divindades, mitos e lendas.

Fora do Japão essa forma de artesanato foi pouco difundido e até mesmo no Japão, hoje em dia, existem pouquíssimos artesãos que são peritos nessa prática. Por ser feito totalmente de forma artesanal, o Karakuri, requer um alto nível de habilidade em marcenaria e conhecimento em mecânica.

Hideki Higashino é um jovem artesão, um dos poucos que lutam para não deixar a arte do Karakuri morrer. Vira e mexe, ele cria obras surpreendentes.

Nos vídeos abaixo, você pode ver um pouco da arte, inclusive uma boneca magnifica que ele criou que possui uma grande habilidade com o pincel e é capaz de fazer Shodo, uma arte considerada muito difícil.

Quer Aprender Japonês?

3 Comentários

  1. Parabens pelo blog, sempre me interessei muito pela Cultura do Japão. Serei seu leitor. Abraços

  2. Japão em Foco

    Oi Rodrigo!
    Que bom que gostou do blog!
    Se quiser, assine nosso feed, nos siga no twitter ou curta nossa página no facebook.
    Assim você estará sempre por dentro do que postarmos aqui!
    Volte sempre e seja bem vindo!
    Abraços

  3. Sou uma colecionadora Nihon Ningyô no Brasil e preciso ter mais contato com outros apreciadores dessas bonecas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *