10 características marcantes em uma casa tradicional japonesa

Características de uma casa tradicional japonesa

As casas tradicionais japonesas são um charme e possuem características arquitetônicas únicas que não são vistas em casas de estilo ocidental. Não é a toa que muitas pessoas que vem visitar o Japão, procuram os famosos ryokans, que são as hospedarias tradicionais japonesas que obviamente reúnem todas essas características em um só lugar.

As casas tradicionais japonesas são chamadas de Minka (民家), que literalmente significa “casa do povo”. Esse estilo de casa remonta ao período Edo e variam muito em sua aparência de região para região, referindo-se a todas as casas não pertencentes à aristocracia ou à classe samurai, ou seja, geralmente pertenciam a agricultores, artesãos e comerciantes.

Essas casas possuem salas com estilo japonês, chamadas de Washitsu (和室), que se caracterizam por ter tatami, portas de correr (fusuma) ao invés de portas articuladas entre os quartos, shoji, uma espécie de painel com papel translúcido colocado em uma armação de madeira, Tokonoma, uma área ligeiramente elevada em uma sala de recepção, etc.

Não podemos esquecer do genkan, que é um item presente em praticamento todas as casas japonesas, mesmo aquelas com estilo ocidental. Se você pretende viajar para o Japão, é interessante conhecer algumas dessas características e saber para que servem, afinal, essas casas tem um papel importante no que diz respeito a história e cultura do Japão.

1. Tatami

Washitsu (Wikimedia Commons)

Ao adentrar uma casa tradicional japonesa, uma das primeiras coisas que você vai reparar é o Tatami (畳), uma espécie de revestimento tradicional, utilizado desde o Período Muromachi. É feito de palha de arroz prensada revestida com esteira de junco e faixa lateral.

Quando o Tatami é novo tem uma coloração esverdeada, porém à medida que envelhecem, tornam-se amarelados. Não é permitido pisar no tatami com calçados, nem mesmo com chinelos (suripas). Normalmente senta-se diretamente no chão, em cadeiras sem pernas chamadas zaisu ou em grandes almofadas chamadas de zabuton.

2. Genkan

Genkan (style-sense.com)

O Genkan (玄関) fica localizado na entrada da casa, sempre um degrau abaixo da entrada principal. Neste local, deve-se retirar os sapatos e deve deixa-los sempre voltado para a porta. Em seguida, coloca-se a suripa, uma espécie de chinelo que deve ser usado apenas dentro da casa. Esse hábito ajuda a evitar e/ou reduzir a sujeira no interior da casa.

Geralmente, há um armário para guardar sapatos ao lado do genkan. Na maiorias das casas tradicionais, há um genkan espaçoso, já que é comum as famílias receberem convidados. Como já deu pra perceber, em hipótese nenhuma deve-se andar de sapatos dentro de uma residência no Japão. Ao fazer isso, você estará infringindo uma regra de etiqueta muito importante.

3. Shoji

Shoji (wikimedia commons)

Antigamente, as casas japonesas não costumavam usar vidro. Ao invés disso, era comum usar o shoji (障子) como alternativa de iluminação natural no interior da casa. O shoji é um painel ou porta de correr deslizante que se caracteriza por papel translúcido (feito com papel washi) em uma armação de madeira, usado tanto em paredes internas como externas.

A luz difusa atravessa o papel e cria uma atmosfera “macia” que se altera conforme a luz do dia. A estrutura que constitui os postigos em treliça podem ser de bambu ou madeira. As portas shōji podem ser encontradas tanto em casas de estilo japonês como de estilo ocidental e são projetadas para deslizar livremente e, assim, ajudam a economizar espaço.

4. Fusuma

Fusuma (fusuma.jp)

Fusuma (襖) são painéis deslizantes que atuam como portas, divisórias e paredes, feitos de papel muito espesso emoldurado em madeira e uma camada de papel ou tecido em ambos os lados.

O fusuma costuma ser decorado com pinturas relacionados à natureza, animais, mitologia ou caligrafia. Eles oferecem às casas japonesas muitas possibilidades, pois os quartos podem ser reconfigurados dinamicamente.

Eles geralmente medem cerca de 90 centímetros de largura por 180 centímetros de altura e possuem uma borda de laca preta. As portas correm em trilhos de madeira na parte superior (Kamoi / 鴨居) e inferior (shikii / 敷居).

5. Wagoya

 

Wagoya (hoshinoyataketomijima.com)

Carpinteiros japoneses desenvolveram técnicas de marcenaria avançadas, permitindo a construção de grandes edifícios sem o uso de pregos. Algumas dessas madeiras são encaixadas ou amarradas com corda, e podem ser visto nas antigas casas japonesas.

O wagoya, por exemplo, se caracteriza por uma estrutura de madeira usada sob o telhado em que usa-se o método de intertravamento para conectar madeiras, estruturas e vigas.

6. Engawa

Engawa (Wikimedia Commons)

Engawa (縁側) é um corredor externo que fica do lado de fora da casa, como uma espécie de varanda. Tradicionalmente é usado para proteger as portas e paredes shoji contra o sol, chuvas e tempestades. A largura do engawa depende da casa, podendo ser estreito ou largo.

7. Ranma

Ranma (wikimedia commons)

Ranma (欄間) são painéis situados acima do shoji ou fusuma que são projetados para deixar entrar luz e ventilação nas salas e quartos. Muitas vezes são esculturas de madeira ornamentadas ou telas shoji .

8. Tokonoma

Tokonoma (Wikimedia Commons)

Tokonoma (床の間) é uma área ligeiramente elevada de encontro a uma parede em uma sala destinada a receber convidados. Neste local é comum encontrarmos um ou mais tipos de arte tais como pintura, shodo, bonsai, Suiseki (pedra de exibição), Kakemono ou ikebana.

Existe algumas regras de etiqueta importante em relação ao Tokonoma. Por exemplo, não se deve entrar no interior do tokonoma, exceto para mudar a decoração. Os convidados também devem ficar de costas pra ele, com o intuito de mostrar modéstia perante seus hóspedes.

9. Amado

Amado (wikimedia commons)

Amado (雨戸) é uma espécie de persiana ou porta de correr usada para selar completamente uma casa ou apartamento para segurança, privacidade e proteção contra vento, neve, tempestade ou tufões. Geralmente são feitos de madeira, ou metal.

O amado interfere completamente na estética de uma casa tradicional japonesa, uma vez que durante o dia, costuma ficar aberto, deixando à mostra o shoji, por onde entra a iluminação natural. Já durante a noite, costuma ser fechada por questões de segurança.

10. Ofuro

Ofuro (Wikimedia Commons)

Antigamente, a maioria das casas japonesas não tinham local para tomar banho. Por este motivo, era comum as pessoas se dirigirem ao Sento (banhos públicos) para se lavar. Na era Meiji, área para banho passou a ser implementadas nas casas, sendo comum hoje em dia. Em casas antigas e ryokans ainda é possível encontrar os tradicionais ofurô em madeira.

Uma característica interessante é o fato da área do banho ser separada do banheiro. Na área do banho, é comum encontrarmos o Ofuro (風呂), uma espécie de banheira onde os japoneses costumam relaxar após se lavarem. No entanto, existem diversas etiquetas relacionadas ao uso do ofurô. Se quiser saber mais sobre esse assunto, confira esse artigo.

Como deu pra notar, uma casa tradicional japonesa é multi-funcional e extremamente versátil na sua concepção. Ao mesmo tempo, esse tipo arquitetura prima pela sua simplicidade e refinamento. Mesmo nos dias de hoje, podemos encontrar muitas dessas características antigas em casas novas e modernas pois as muitas pessoas as consideram encantadoras.

E você? O que achou dessas características de uma típica casa japonesa? Já teve a oportunidade de se hospedar ou morar em uma casa com estilo japonês? Comente!

Quer Aprender Japonês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *