A Cultura da Bicicleta no Japão

Cultura da bicicleta no Japão

Estilo de vida – A cultura da Bicicleta no Japão

Uma das coisas que mais surpreende quando vamos ao Japão é a quantidade de pessoas que utilizam a bicicleta como seu principal meio de transporte, independente da idade, sexo, posição social ou independente de ter ou não um carro na garagem. A Cultura da Bicicleta faz parte do cotidiano e estilo de vida japonês.

Como o próprio Wikipédia diz: Podemos chamar de “cultura da bicicleta” toda e qualquer sociedade em que uma boa porcentagem da população tem a bicicleta como um veículo utilitário. Assim acontece com vários países europeus e asiáticos como Dinamarca, Holanda, Alemanha, Suécia, China, Coreia e Bangladesh.

Devido ao grande número de ciclistas, esses países acabam por criar uma infra-estrutura mais desenvolvida para ciclistas, com direito a ciclovias segregadas nas calçadas e extensas instalações que servem como estacionamento urbanos para bicicletas, geralmente em locais de grande tráfego como estações de trem.

estacionamento de bicicletas Japão


Estacionamento de bicicletas em uma estação de trem

Por que o Japão é tão adepto das bicicletas?

Segundo pesquisas, o Japão é o terceiro país com o maior número de bicicletas do mundo, perdendo somente para a Holanda e Dinamarca. Mas porque a bicicleta tornou-se uma opção de transporte atraente para milhões de japoneses em sua vida diária? Eu creio que o motivo não seja apenas por uma causa “sustentável”.

Reflete na verdade uma tendência cultural muito antiga, que atravessou várias gerações e que ainda persiste naturalmente nos dias atuais. Esse tipo de transporte é usado regularmente por praticamente 99% da população para se locomover para diversos lugares como supermercados, creches, escolas, médicos, dentistas.

Geralmente são usados em trajetos de curta distância, ou seja, é considerado o transporte ideal e indispensável para os japoneses e inclusive estrangeiros irem a lugares próximos. Dependendo do lugar onde mora, como Tóquio por exemplo, andar de bicicleta não se trata de uma alternativa e sim de sobrevivência.

Andar de bicicleta no Japão
Como o sistema de transportes públicos no Japão é eficiente, muitos preferem abrir mão da sua própria condução para ir de bicicleta ou de trem. De acordo com um relatório divulgado pelo Governo Metropolitano de Tóquio, dois em cada três Tokyoites (moradores de Tóquio) utilizam bicicleta no seu dia a dia.

O motivo é simplesmente porque é muito mais rápido e conveniente utilizar esse tipo de transporte. Os japoneses são geralmente muito pontuais e a ideia de ficar preso em um congestionamento pode trazer muitos aborrecimentos. Então, o trem e a bicicleta, acabam sendo opções mais viáveis e baratas de locomoção.

É importante lembrar que a falta de espaço propicia esses costumes. Nas grandes metrópoles é muito difícil achar lugar gratuito para estacionar, fazendo com que as pessoas tenham que recorrer aos estacionamento pagos. E como os preços não nada animadores acaba sendo uma opção insustentável para muitas pessoas.

Além disso, há outros fatores como segurança e educação: Os japoneses normalmente cumprem as leis de trânsito e costumam respeitar os pedestres e ciclistas. Claro que existem exceções, mas de maneira geral, esse fato faz uma enorme diferença no convívio entre pedestres, ciclistas e condutores de veículos.

Andar de bicicleta no Japão

Tsuukin-isuto, uma tendência entre os japoneses

Nos últimos anos, especialmente depois do terremoto e tsunami de 2011, ir ao trabalho de bicicleta acabou se tornando oficialmente uma tendência considerada elegante e “desportiva”. Tanto que acabou ganhando um termo específico chamado Tsuukin-isuto. Tsuukin significa trabalho e isuto vem da palavra ist em inglês.

Mas o que ocasionou essa tendência, que acabou por aumentar o número de usuários de bicicleta e consequentemente impulsionou as vendas das mesmas? Segundo dizem, foi porque as pessoas ficaram com medo de ficarem presas dentro do trem e impedidas de voltar pra casa diante de um eventual desastre natural.

Em 2011, o terremoto paralisou os sistemas de transporte na área metropolitana de Tóquio, deixando muitas pessoas sem condições de voltar para casa naquele dia terrível. Por causa disso, as pessoas naturalmente passaram a optar pela bicicleta para irem ao trabalho ou escola, ao invés do trem ou ônibus.

Para incentivar o hábito, em Tóquio tem até algumas empresas que pagam um subsídio mensal para os funcionários que se deslocam para trabalhar de bicicleta, ao invés de usar o metrô. Bom pro bolso e também para o meio ambiente.

Andar de bicleta no Japão


A bicicleta é um meio de transporte muito usado em todo o Japão, especialmente nas grandes metrópoles como Tóquio

Como são as bicicletas no Japão?

Não pense que as bicicletas normalmente usadas no Japão são de alta tecnologia… Embora existam dessas no Japão, as mais usadas são bicicletas com estilos simples, geralmente com cestinhas na frente para facilitar o transporte de pertences ou compras no mercado. São muito usadas por pessoas de todas as idades, desde crianças, colegiais, adultos e pessoas de idade avançada.

Essas bicicletas são chamadas Mamachari, Mama = Mamãe e Chari = Charinko, apelido dado às bicicletas no Japão. Ou seja, Mamachari se traduz como “bicicleta da Mamãe”, apesar de algumas pessoas a chamarem de “bicicleta da vovó”.

Quando usada por mães japonesas que possuem crianças pequenas, as cestinhas são substituídas por uma cadeirinha na frente e outra atrás para carregar as crianças. Elas vem equipadas com farol de dínamo frontal, uma buzina que emite o som de um sininho e uma fechadura de segurança que trava a roda traseira.

Uma bicicleta Mamachari custa em média 10 a 20 mil ienes. Em lojas de usados é possível encontrá-la ainda mais barata. Por ter um preço acessível, os japoneses tendem a tratar a mamachari como se fosse algo descartável e roubos de bicicletas não são incomuns. Portanto é necessário deixar a bicicleta sempre travada.

Mamachari, bicicleta para as mamães


Mamachari, bicicleta para as mamães carregarem seus filhos

Bicicleta, barata, fácil e amiga do meio ambiente

Na verdade, podemos dizer que no Japão não existem ciclistas e sim pessoas que utilizam a bicicleta de forma funcional e consciente. Abandonar o carro na garagem e se sucumbir ao veículo de duas rodas é uma atitude aparentemente simples e fácil, mas muitos países infelizmente não adotam esse estilo de vida.

Seria bom se no Brasil, a bicicleta fizesse parte do cotidiano das pessoas e não apenas fosse um hobby ou esporte. Além da economia, a quantidades de carros nas ruas reduziriam e o trânsito fluiria melhor. Além disso, a bicicleta é amiga do meio ambiente. Pena que a falta de segurança no Brasil não contribui para isso.

Enfim, você utiliza a bicicleta como meio de transporte no Brasil? Ou já andou de bicicleta no Japão? Como foi sua experiência? E pra quem nunca foi ao Japão, o que acha a respeito da cultura da bicicleta? Deixe sua opinião. 🙂

Aproveite para conhecer as regras e leis para ciclistas no Japão. Infringir as leis podem acarretar em multas e até prisão… Não é mole não 🙂 No vídeo abaixo, dá para ver muitos japas infringindo as regras:


Link do Vídeo (YouTube)

Quer Aprender Japonês?

21 Comentários

  1. Laura

    Eu uso muito a bicicleta nos fins de semana, quando vou pra casa do meu tio, que é ciclista (ele não tem carro), ele só usa bicicleta! vai ao trabalho, ao mercado, aulas, lazer…e de quinze em quinze dias eu vou pra casa dele andar de bike.
    Tenho a impressão de que deve ser muito bom andar de bicicleta no Japão…reparei no vídeo que o motorista até parou para o ciclista passar! Acho que aqui no Brasil falta isso…respeito! a maioria dos motoristas desrespeitam muuito os pedestres e ciclistas e isso é muito ruim pra os ciclistas e pedestres andarem nas ruas (claro que existem exceções)…
    Outra coisa são as ciclovias, são cheias de raízes de árvores, buracos, é poste no meio aqui e ali! isso atrapalha muito quem esta andando! e o pior é que é fácil de arrumar essas pequenas coisas, que fazem muita diferença no final!…

    Abraços, Laura

  2. Risa Anshieta

    Eu usaria uma bicicleta, se eu soubesse andar com ela 🙁

  3. Célia S.

    Morei 15 anos no Japão e logo q chegamos no Japão a empreiteira que arrumou trabalho, já providenciou as bicicletas para ir e voltar do serviço e todas as pessoas q trabalhavam lá tbm. iam de bicicletas, somente os q moravam longe vinham de carro… e nas lojas de usados encontramos bicicletas baratinho, custando até 3.000 ienes e bem conservados e lá se tem seguros para bicicletas… certa vez roubaram a minha e com esse seguro recebi outra novinha, lá funciona mesmo… 😆
    Atualmente moro no Brasil e continuo andando de bicicleta… como moro no litoral paulista e a cidade é pequena, é muito tranquilo andar por aqui, lógico que respeitando as leis e estão sendo construidas ciclovias na cidade e tbm na orla maritima… me sinto livre e leve quando ando de bicicleta!!!
    Vamos aderir as bicicletas Brasil!!!

  4. Japão em Foco

    Oi Laura!
    Achei muito legal da sua parte usar bicicleta, mesmo que seja apenas nos finais de semana. É um habito muito saudável e na minha opinião é o correto quando temos que se locomover a curtas distâncias. Quando eu cheguei ao Japão, usei bicicleta por muitos anos até resolver tirar carteira de motorista. O único problema que é que muitas ruas não tem calçadas e os ciclistas tem que andar na rua, se desviando dos carros. E quando tem calçada com faixa para ciclistas, são geralmente bastante estreitas e compartilhadas com pedestres. Tem que andar e sair apertando o sininho (uma espécie de buzina) para o povo sair da frente…. rs. Mas é muito legal… Tenho muitas saudades dessa época! Abraços!

    Oi Risa!
    Você não sabe andar de bicicleta? Aproveite para treinar… garanto que depois que aprender, vai gostar muito! Abraços!

    Oi Célia!
    Muito legal seu depoimento! Obrigada por compartilhá-la conosco! Sem dúvida nenhuma, andar de bicicleta no Japão é uma experiência interessante, pois nos aproxima ainda mais com o estilo japonês de ser. quando eu cheguei no Japão, estranhei a ausência de pessoas andando nas ruas da forma que vemos no Brasil… Geralmente os japas se locomovem mais de bicicleta ou o próprio carro. Com exceção de Tóquio e grandes metrópoles é claro, onde há muito tráfego de pessoas a pé, pois muitos andam de trem ou metrô. Abraços!

  5. Ukiyou

    Eu ADORO minha mamachari, apesar de ter cestinhas imensas nela ao invés de cadeirinhas. A minha ainda é elétrica, e foi muito mais barata do que qqr bike eletrica no brasil. Pra falar a verdade eu nem sabia andar de bicicleta quando cheguei aqui, mas vendo a infra-estrutura e os preços do transporte publico, a escolha pela bicicleta foi quase inevitavel, mas eu acho otimo!

  6. Pingback: Regras para quem anda de bicicleta no Japão | Curiosidades do Japão

  7. Douglas Bezerra

    Gosto muito mais de andar de bicicleta do que de ônibus, comprei uma mês passado para ir trabalhar, assim economizo dinheiro e tempo. Ao ir de ônibus levava de 20 á 30 minutos para chegar e de bicicleta só leva 10 minutos.
    Também moro no litoral paulista, aqui na minha cidade tem algumas ciclovias.
    Abraços!

  8. Japão em Foco

    Oi Ukiyou!
    Realmente a bicicleta é a opção mais barata de transporte não só no Japão como em qualquer parte do mundo. Acho muito estranho esse conceito que os brasileiros tem que só quem é pobre que usa a bicicleta como meio de transporte… Será que é tão difícil se espelhar nos países de primeiro mundo como Japão, Holanda e Dinamarca? Infelizmente a forma de pensar dos brasileiros é equívoca e o primeiro passo para as mudanças é a conscientização, mas mesmo assim, sem querer ser pessimista, acho muito difícil implantar esse hábito no Brasil, assim como ocorre em outros países…. A falta de segurança, respeito e educação não permitem rsrs. Abraços!

    Oi Douglas!
    Já percebi que quem mora em cidades litorâneas cultivam mais esse hábito do que em relação à outras cidades… Provavelmente por terem mais infraestrutura como ciclovias. Seria bom se o governo incentivasse mais as pessoas a andar de bicicleta, embora eu ache que essa decisão deve partir da conscientização da sociedade sobre os benefícios da bicicleta no cotidiano. E deve também ser criada uma boa infraestrutura para os ciclistas terem mais segurança. Quem não se lembra do episódio triste do ciclista que ia ao trabalho de bicicleta e teve seu braço arrancado por causa de um motorista irresponsável… Tudo isso gera receio nas pessoas… Mas achei legal o seu exemplo de adotar a bicicleta… O seu bolso e a sua saúde agradece rsrs 🙂 Abraços!

  9. Mayara

    Além da bicicleta ser muito eficaz para a saúde, é muito prazeroso andar numa. Em cidades pacatas do brasil, a bicicleta é muito usada. Aqui na minha cidade muitas pessoas a utilizam.
    E eu tenho uma pergunta. Fiquei observando que é bem comum ver brasileiros caminhando pela manhã, fazendo variados tipos de exercícios, e gostaria de saber uma coisa: no Japão é comum ver pessoas fazendo caminhada? Existe academia ao ar livre?

  10. Japão em Foco

    Oi Mayara!
    No Japão eu via direto vários japoneses correndo pela manhã, geralmente com uma toalha amarrada na cabeça. Quanto às academias ao ar livre como as que tem no Brasil, nunca vi no Japão, mas lá tem muitas academias que você paga pelo dia que usar. Eu ia em uma que pagava 300 ienes e podia ficar o dia inteiro se quisesse. Tinha vestiário e até chuveiro para quem quisesse tomar banho. Porém não tinha nenhum instrutor, o que é péssimo, pois é importante para os iniciantes terem o suporte de um instrutor para aprender a utilizar corretamente os aparelhos. Ah, tem também o Radio Taiso, uma espécie de ginástica coreografada com uma série de alongamentos que muitos japoneses fazem pela manhã. Muitas empresas “obrigam” os funcionários a fazer o Radio Taiso antes de começar a trabalhar. Enfim é isso… 🙂 Bjos

  11. Pingback: 40 motivos para amar o Japão (2° parte) | Curiosidades do Japão

  12. Pingback: Momotaro, o cão que anda de bicicleta no Japão | Curiosidades do Japão

  13. Pingback: Koban, postos policiais no Japão | Curiosidades do Japão

  14. angelo

    gosto muito de bicicleta e costumo ir a praia com os amigos às 5 da manha, é muito bom e revigorante, 3x por semana vo ao trabalho de bicicleta. sempre me cinto ativo e elegre. Quando começarem a pensar no bem que fara a saude nem notaram o esforço que ira ter!

  15. Japão em Foco

    Oi Angelo!
    Pois é, pena que no Brasil não se tem muito este hábito, a não ser em cidades do litoral. Abraços!

  16. jorge t.hino

    Por Favor como faço para compartilhar esta matéria num grupo de ciclista que tenho aqui em Ribeirão Preto no Facebook ? Obrigado.

  17. Japão em Foco

    Oi Jorge!
    Você pode publicar a matéria para a linha de tempo do grupo ou por mensagem… ou se quiser publico na page do Japão em Foco e de lá você compartilha. Prefere assim?

  18. Paula

    Morei um tempo no Japão e andava de bicicleta também, aliás como disse a reportagem a maioria das bikes são simples com cestinha na frente grande e muito forte podemos carregar muitas coisas, garupa atrás, sininho, não tem marchas, e creio que a maioria também tem um farol muito simples que funciona com a energia da pedalada, são leves e muito gostosa de andar. Todo mundo respeita uns aos outros, o sininho da bicicleta podemos usar para alertar pedestres que estão distraídos correndo risco de choque com os ciclistas. Existem também nos estacionamentos de bicicletas, principalmente nas estações de trem ou metrô, muitas bikes abandonadas, tem gente que quer uma nova e não tem ninguém que queira a velha então muitas pessoas abandonam suas bikes nesses locais, isso não é bom.

  19. Fábio

    Moro no Japão…soube q existe muitas bicicletas encostadas em alguns lugares enferrujando,pois o preço de um remendo ou mesmo o trabalho para remendar uma câmera não compensa pra eles.o preço do remendo compensa comprar uma bike nova,na cidade onde morei havia milhares na calçadas e nas estações de trem esperando o sucateiro retirar,no calor do Japão o número de ciclistas diminue um pouco,por causa do sol castigante.o seguro de roubo de Nike na cidade onde eu morava custava 500 ¥

  20. Fábio

    Eu quiz disser bike ou bicicleta como conhecemos no relato acima

  21. vagner

    Ola,
    Gostei muito desta matéria, sou uma pessoa que anda de bicicleta alguns dias da semana, mas não me considero um ciclista, apenas um usuário deste meio de transporte. Aqui no brasil, há muitas coisas que podem ser feitas para aumentar o incentivo do uso de bicicletas no brasil, uma delas seria a redução dos impostos para a compra de bicicletas de boa qualidade. Atualmente fala-se da grande preocupação com os malefeitos do uso dos veículos automotores no mundo, mas acredito que isso não seja realmente a causa dos problemas climático, tudo bem que contribui.
    A propaganda que deveria ser feita para incentivar o uso de bicicletas, deveria mostrar os benefícios para a saúde, tanto física quanto mental, nosso país foi presenteado com os relevos de morros e belezas naturais, encontradas até mesmo nos centros urbanos como são paulo, isso desencoraja muita gente, que passa horas no transito para chegar em uma academia, para correr na esteira e pedalar na ergométrica, “parece brincadeira isso, é como se o status do conforto do carro drenasse a inteligencia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *