Kodokushi – Morte Solitária no Japão


Kodokushi – Morte Solitária no Japão

Nada parece ser mais trágico do que “morrer de solidão”, mas acredite, acontece no Japão o tempo todo. E tanto é asim que existe até um termo para designar esse triste fenômeno: Kodokushi (孤独死), que significa literalmente “morte solitária” e abrange especialmente pessoas da terceira idade (mais de 65 anos).

A cada ano, milhares de pessoas são encontradas mortas e só são descobertas depois de semanas, meses ou até mesmo anos. Atinge pessoas sem muitos laços sociais, especialmente homens da terceira idade, embora há casos de mulheres idosas e pessoas mais jovens (na faixa entre 30 e 40 anos).

Quando surgiu esse termo?

Kodokushi

A palavra kodokushi surgiu em 1980, quando o cadáver de um idoso foi encontrado em seu apartamento após 30 anos. As mortes decorrem de diversas formas tais como infarto do miocárdio, doença cerebral, doença crônica, cirrose por excesso de álcool, acidente doméstico e pasmem… até de fome.

Às vezes, os corpos demoram tanto para serem descobertos que eles acabam mumificados. Existem empresas especializadas em limpar apartamentos de pessoas que infelizmente tiveram esse triste fim, se deparando inclusive com manchas deixadas pelo corpo em processo de decomposição.

Como sabemos, o Japão está se tornando cada dia mais uma nação envelhecida. Segundo estimativas, dentro de 20 anos, um a cada três japoneses pertencerá à terceira idade, o que significa que o número de mortes solitárias pode aumentar consideravelmente, caso não haja uma intervenção.

Não existe estatísticas exatas, mas em uma reportagem da TV japonesa foi informado que no ano de 2009, 32 mil idosos padeceram da “morte solitária”. Uma empresa de mudanças em Osaka também informou que 20% das mudanças eram de remoção de pertences de pessoas que sofreram Kodokushi.

Causas do kodokushi

Kodokushi - Morte Solitária no Japão

Algumas das razões atribuídas e este fenômeno são os frágeis laços familiares e o meiwaku, um termo que significa “incômodo”, mas que reflete uma conduta de boa parte da sociedade japonesa, que abomina qualquer tipo de situação que possa incomodar outras pessoas, mesmo que sejam da família.

Outra razão atribuída ao Kodokushi é que desde 1990, muitos japoneses vem se aposentando cada vez mais cedo. Muitos desses homens nunca se casaram e acabam se isolando depois que saem da sociedade corporativa.

Muitos também sobrevivem com um aposentadoria mal remunerada e vivem em apartamentos do governo. A falta de recursos financeiros pode levar a um quadro de estresse, apatia e depressão, que acaba fazendo com que o indivíduo evite contatos sociais, culminando em isolamento social extremo.

Por não se tratar de casos isolados, o Kodokushi nos faz refletir e nos questionar sobre o por que da sociedade japonesa enfrentar tantos problemas tais como o Kodokushi e o Hikikomori, ainda mais levando em conta que a internet e telefones móveis estão muito mais acessíveis hoje em dia.

Como podemos notar, a expressão “morrer de solidão” deixou de ter um significado figurado e passou a ser uma realidade no mundo moderno. O que você pensa a respeito desse assunto? Compartilhe conosco sua opinião! 🙂

Referências: Wikipedia, Invisible Photographer Asia

Quer Aprender Japonês?

13 Comentários

  1. carlos

    Comparando esta situação ao que vivemos no Brasil, temos aqui uma prática dos idosos irem viver em retiros, asilos, onde acreditamos que mesmo longe dos parentes, estas pessoas terão um fim digno, com cuidados, etc. Não tenho certeza, mas desconfio que tal coisa não existe no Japão.

  2. ione

    😥 Muito triste, essa situação dos Idosos do Japão!Principalmente sendo um País de 1° mundo. Pelo menos ainda não vi falarem de maus tratos aos Idosos, como agressão física.Como filha de Japonês eu aprendi que o filho(a) mais velho que ficaria encarregado de cuidar dos Pais Idosos! Mas parece que isso não procede ai no Japão!!! Esses Idosos não teriam nenhum parente para cuidar deles!Ou eles preferem ficar sozinhos? Como o nosso colega comentou, ai no Japão não tem casas que cuida de Idosos? Se não, o que estão esperando para construir! Sabemos que ai no Japão os Idosos são muito Respeitado. Então cadê o Respeito? 🙁

  3. Antônio Melo

    Não acho não…eles sabem que tem de contar com suas próprias pernas…que depender dos outros , mesmo que sejam da família é gerar um incomodo indesejado…nascermos e morreremos … se tivermos a companhia de nossos famíliares será ótimo … mas se não tivermos , precisamos continuar a caminhada…até o dia do último passo…é preciso estar bem consigo mesmo…e não esperar nada dos outros…a meu ver , é uma postura existencial , muito mais que um abandono…

  4. Antônio Melo

    Não acho não…eles sabem que tem de contar com suas próprias pernas…que depender dos outros , mesmo que sejam da família é gerar um incomodo indesejado…nascermos e morreremos … se tivermos a companhia de nossos famíliares e o seu apoio será ótimo … mas se não tivermos , precisamos continuar a caminhada…até o dia do último passo…é preciso estar bem consigo mesmo…e não esperar nada dos outros,mas também não se fechar se isso acontecer…a meu ver , o Kodokushi é uma postura existencial , muito mais que um abandono…

  5. Luciana G.

    Muito triste essa questão! Mas realmente acho que o comportamento da sociedade japonesa é bem diferente do comportamento dos japoneses que temos no Brasil (nisseis, sanseis, etc). Por aqui, o que sempre vejo são os filhos mais jovens morando com os pais idosos até seus 30 e poucos anos ou então os pais idosos morando com algum dos filhos casados ou então muito próximos, no mesmo terreno ou rua ou bairro. Aqui há uma preocupação legitima dos filhos em relação aos pais. Acho que “nossos” japoneses são mais humanos que os japoneses “deles”.

  6. Elaine

    Falou tudo Luciana G

  7. Elaine

    Falou tudo Luciana G

  8. olinda gomes teixeira

    Nada substitui o afeto ,é muito triste viver na solidão..mas eu não sei o que é pior a solidão ou desprezo e maus tratos da familia..Situação extremamente complicada…..

  9. Snake

    Não tenho descendência japonesa (apesar de que tenho uma prima que mora lá no Japão, com filhos e tal, além de eu amar o país), mas do jeito que coisa anda, já aos meus 34 anos, parece que vou ter uma morte dessas no futuro.
    Triste. Pelo menos agora sei que ao menos isso tem um nome…

  10. Thiago Theodoro

    Sabe o que aconteceu? Simples: a época dos baby boomers no japão trouxe uma drástica evolução no país, mas em troca foram todos os convívios sociais, Na verdade isso continua (você trabalha lá de 10 a 12 horas por dia fora os extras. Ou você utiliza o resto do tempo para arrumar a casa ou para convívios sociais). Fora isso, conta com o “corte de costumes” que houve lá (como tratar os mais velhos com seriedade, coisa que se retrata bastante nos animes “estilo escola” aonde o professor não tem vez) e o “corte de honra” (bem… mas isso é para outra história). Agora una tudo isso a uma geração que só quer “saber de como ser superior a pessoa X” ao invés de “como fazer minha nação melhor” e a idealização americana e BOOM! Vira algo parecido com um “brasil-europeu” (pessoas querendo ser maiores do que as outras, querendo ser mais bonitas como o Brasil mais a queda de natalidade por ninguém confiar em ninguém da Europa)

  11. Fabricio Leoncio

    isso e triste e eu aqui achando que só ia isso acontecer só comigo amo o japão

  12. Eu posso imaginar o que esses idosos passam. Pois, eu mesmo sendo jovem, vivo em solidão. É algo muito doloroso!

  13. Hiroshi YAMAZAKI

    Cara Sílvia,
    Bom dia!
    Sou japonês e moro no Brasil há três anos e meio.
    Descobri seu site nas minhas aulas de português e estou muito impressionado com seus artigos.
    Sua maneira de ver a cultura japonesa é muito interessante e geralmente adequada à realidade.
    Sugiro que você escreva sobre “Shuu-katsu” neste site futuramente.
    É porque tenho 55 anos e já comecei a pensar em como terminar bem a minha vida, daqui a 30, 40 ou até 50 anos.
    Atenciosamente,
    H. Yamazaki

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *