Soushoku Danshi – Os homens herbívoros japoneses

Soushoku Danshi – A nova geração de homens japoneses
Não tem como esconder os fatos: O conceito sobre masculinidade está mudando no Japão e a nova geração de homens ganhou até um nome: Soushoku Danshi, que significa literalmente “Comedores de grama” ou são também denominados como “homens herbívoros”.

As principais características dessa nova geração é o fato de não estarem nem aí para dinheiro, relacionamentos e muito menos sexo. Esse termo “Soushoku Danshi” foi usado por uma colunista famosa chamada Maki Fukasawa, em 2006.

Desde então se tornou popular para designar os novos homens japoneses, que rejeitam a definição tradicional imposta pela sociedade a respeito da masculinidade e que aparentemente procuram evitar a todo custo as relações com o sexo oposto, pelo menos na vida real.

Além disso, uma parcela da nova geração de homens, que engloba um número muitíssimo significativo, está muito mais interessada com a aparência, moda e gastam mais com cosméticos em comparação com os homens da geração anterior, além de uma exacerbada vaidade e preocupação em se manter magro e com a silhueta enxuta.

As pesquisas revelam…

Segundo uma recente pesquisa, realizada pela Associação de Planejamento Familiar do Japão, constatou-se que 36% dos homens entre 16 e 19 disseram que não tinham “nenhum interesse” ou então que “desprezavam o ” sexo. Isso é um aumento de quase 19% desde o último levantamento, realizado em 2008.

A pesquisa pinta um quadro sombrio sobre o envelhecimento da população japonesa. Pelo visto, tudo indica que a população nacional de 128 milhões terá diminuído em um terço em 2060 e 40% será formada por idosos, colocando em xeque a baixa natalidade do país.

Além dos problemas sociais e econômicos que a “nova geração” vem causando, os “Soushoku Danshi” não vem agradando a população jovem feminina, que os consideram como “fracos e estranhos”. As moçoilas andam sentindo falta dos homens viris e com atitude de antigamente e não estão nada satisfeitas com os de agora: passivos, narcisistas e metrossexuais.

Falta de ambição profissional e iniciativa amorosa

Já os homens argumentam que “construir um relacionamento é muito desgastante e é preciso muito esforço para ambos se agradarem mutuamente. Outros dizem que não estão dispostos a abrir mão das coisas que gostam de fazer no dia a dia ou nos finais de semana em troca de dar atenção a uma eventual namorada.

Além disso, os jovens japoneses gastam muito tempo envolvidos com a tecnologia, vivendo em mundos virtuais e se contentando com namoradas também virtuais como personagens de vídeo game, em vez de se jogar em relações afetivas reais. Isso traz sérias preocupações sociais já que menos relacionamentos significa menos sexo, que por sua vez significa menos natalidade.

A falta de ambição profissional e de competitividade é outro problema alarmante para a economia do país, que teme que dessa forma, a economia do país definhe pouco a pouco, já que sem competição não há evolução. Esse mesmo problema se volta para a mão de obra japonesa, que cada vez ficará mais escassa e sem pessoas realmente produtivas e determinadas a ganhar dinheiro.

Mas quando essas mudanças começaram a ocorrer?

Segundo especialistas no assunto, as mudanças começaram após a crise e estagnação econômica do país, nas décadas de 80 e 90. Muitos desses jovens, cresceram sozinhos, sem irmãos e sem a interação com os pais, já que estes estavam preocupados demais com a instabilidade financeira após a “bolha econômica”.

A insegurança tomou conta da nova geração que chegaram a conclusão que mesmo com todo o esforço dos seus pais ou avós, não houve grandes mudanças na economia do país.

Resolveram então que se esforçar e competir pode ser uma tarefa estressante e sem grandes expectativas. Se quando a economia estava boa, os homens podiam comprar um carro novo e trocá-lo a cada ano, com a instabilidade financeira de hoje, os homens simplesmente não podem viver aquele estereótipo de vida” feliz”.

Por outro lado as mudanças não foram de todas ruins, já que a nova geração está mais sensível em relação ao meio ambiente e a ter uma vida mais saudável.

Isso nos leva a crer que o que pode ser sinal de “fraqueza” para uns, pode ser considerado uma “afronta” para outros, já que esses jovens estão mesmo determinados a não ceder às imposições da sociedade japonesa. Veja também sobre os Hikikomoris.

Por serem menos consumistas, os “come grama” também estão deixando empresas descontentes. Ter um carro de luxo e uma série de futilidades são abominadas pelos Soushoku Danshi, que preferem passar o tempo sozinhos ou com amigos próximos.

Eles preferem gastar somente o essencial para decorar suas casas, onde permanecem a maior parte do tempo, conectados a internet ou jogando videogame, onde muitos se relacionam com outras pessoas apenas virtualmente.

Mulheres e homens – Inversão de papéis

O fato de não estarem interessados em investir nos estudos e na carreira profissional, fez com que os papéis invertessem e hoje são as mulheres que mais ganham destaque nessa área. É cada vez mais comum no Japão ver as mulheres ocupando altos cargos. A negligência dos homens abriu espaço para elas, o que não é nada ruim, visto todos os esforços delas em tornar o Japão, um país mais igualitário em relação aos salários e cargos profissionais.

Mas acho que as mulheres também não contavam com a nova postura dos homens e se antigamente o assédio sexual entre chefes e funcionárias era algo comum e repudiado pelas mulheres, hoje elas devem estar estranhando as mudanças de comportamento, já que os “herbívoros” aderiram a uma postura mais metrossexual e não tomam nenhuma iniciativa em iniciar um relacionamento.


Além disso, ainda ganharam a fama de “carnívoras” ou “caçadoras” em resposta à indiferença dos meninos herbívoros, pelo fato delas estarem perseguindo o sexo oposto de forma mais agressiva. Lembrando, que entre os Soushoku Danshi, embora exista gays, a maioria é formada de heterossexuais.

O que muda é que esses jovens não concordam e acham insustentável o velho modelo de masculinidade japonesa, modificando dessa forma todo o cenário social e se tornando um grande desafio para a sociedade. Eles não se importam de rachar a conta do restaurante com a dama e nem desejam ostentar riqueza.

Querem apenas viver sem as pressões impostas pelo passado tradicional da época dos samurais, onde o machismo e virilidade marcou toda uma nação e dos kamikazes, que tinham como principais características a bravura, a coragem e a lealdade extrema, chegando ao ponto de darem suas próprias vidas em “nome do país”.

Quer Aprender Japonês?

21 Comentários

  1. Pingback: Hakusai Shosho, homenagem aos centenários japoneses | Curiosidades do Japão

  2. Thales Siqueira

    😈 Pelo menos sobra mais mulheres para os Gaijins que possuem interesses nas asiáticas . 😈

  3. Marcos de Souza

    Eu amo o JAPÃO

  4. Karura-sama

    Se antes eu falava para minha mãe que era mais fácil ser morta por um japonês do que ter como namorado isso, agora me assustou!

  5. Japão em Foco

    Oi Marcos! Oi Karura!
    Obrigada pelo comentário! ~ (> _ < ~) Oi Thales! É... sobra mais japas para os Gaijins né rs Abraços!

  6. Pingback: Paquera e namoro no Japão | Curiosidades do Japão

  7. Ilumizi

    Ah credo, as japas estão muito mal servidas. xD

  8. Pingback: Já ouviu falar sobre o termo Hikikomori? | Curiosidades do Japão

  9. Jacobus

    Culpa do excesso de tecnologia e jogos imbecis, fora a moda de lá, os Visual K, andróginos de Shinjuku, Akihabara e a mídia c/ seus cantores e músicas modernas, com teor de fresco. Não que as mulheres não queiram sexo, elas querem homens, no sentido másculo!

  10. Maylon PrEs

    Toda evolução é bem vinda, afinal se hj somos assim foi devido a mudanças
    se for errado ou certo certamente iremos tirar algum proveito de tudo isso.

  11. Mii

    Realmente a matéria contém fatos da realidade japonesa. Mas, ao ler, me senti incomodada pela opinião um tanto quanto tendenciosa e pelas fotos utilizadas na matéria. Entendo que o relacionamento inter pessoal está sofrendo modificações mas isto não quer dizer que seja consequência direta da aparição dos “Soushoku”. Existe uma mudança no pensamento feminino que também influência nessa questão. Claro que não é tão clara quanto à mudança masculina. Mas é difícil dizer que é um movimento unidirecional.
    Gostaria de comentar também que algumas das fotos são de artistas famosos no Japão e que não são ligadas aos “herbívoros”. Não acredito que a o aumento da vaidade masculina seja uma das características exclusivas dessa nova geração de homens.
    Acredito que o assunto e matéria sejam relevantes para o conhecimento geral mas, para os menos informados, isto pode gerar uma imagem diferente do que encontro no dia a dia aqui do Japão.

  12. Japão em Foco

    Oi Mii!
    Em primeiro lugar, quero agradecer ao seu comentário. A função desse artigo é apenas apontar para UMA das causas da mudança no cenário social do Japão e também da baixa natalidade que cada vez mais atinge o país. É claro que existem muitos outros fatores que influenciam, mas como o tema era sobre os herbívoros, achei melhor não me distanciar do assunto. Quanto às imagens, elas são puramente ilustrativas, servindo somente para mostrar o “metrossexualismo” de parte da nova geração. Como citei na matéria, não são todos que fazem parte desse grupo, apenas uma parcela significativa. Gostei muito do seu comentário e gostaria muito de ler sua opinião em outras matérias deste blog. Abraços!

  13. Pingback: #11 Karoshi – Morte por excesso de trabalho | terror japones

  14. jader

    Agora as feministas japonesas estão felizes com a porcaria de homem que eles queriam , a tal ponto que um Gorila está despertando o desejo sexual das mulheres..

  15. wr

    Essa quantidade de comentários negativos é decepcionante, acho inacreditável que as pessoas ainda tenham uma mentalidade tão antiquada e machista e fico feliz de saber que há homens e mulheres vivendo a vida deles como bem entendem, fazendo o que gostam sem se preocupar em seguir papéis. Não tem nada de errado com o que esses homens estão fazendo (apesar de eles estarem recebendo a culpa por alguns problemas sociais que estariam aí de.qualquer forma), muito pelo contrário, homens não deveriam ter a obrigação de agir de uma determinada forma e o mesmo vale para as mulheres, nem toda mulher prefere homens masculinos, fora que o mundo não gira em torno de relacionamentos. Também me decepciona que ainda exista gente que intérprete feminismo como algo ruim sendo que o feminismo não busca nada além de igualdade entre os sexos.
    Até ontem ficavam condenando quem se importava com futilidades como conseguir dinheiro pra comprar coisas caras, tipo carros só pra impressionar mulheres e sair com várias, agora surge gente que dá importância pra coisas mais simples, que finalmente se preocupa com o meio ambiente, e que tratam o outro gênero como igual e acham que tudo isso é o que está prejudicando o país.

  16. wr

    Na verdade relendo agora, até que aqui não tem tantos comentários negativos quanto em outras fontes. Só acho a reação negativa das pessoas tão estranha já que deveria ser uma coisa boa quando as pessoas seguem com suas próprias vidas sem se conformar com o que a sociedade dita, apesar do foco da matéria ser sobre mostrar que isso pode ser um fator para alguns problemas. Espero que eles encontrem soluções para os problemas sem acreditar que as pessoas tenham de regredir e em certos comportamentos.

  17. Bruno

    é um fenomeno bem interessante. ao mesmo tempo que trás problemas para s muheres, para a economia e para o sistema ultrapassado, é uma maneira nova de se relacionar com o consumismo exagerado que existe no japão. é uma faca de dois gumes. Engraçado pensar que no brasil as pessoas deveriam ter menos filhos, já que tem tanta adolescente engravidando, comparado ao japão onde o governo está no desespero querendo que voc~e transe pelo amor de deus. kkk

  18. Yuri

    É lamentável o autor considerar “nada ruim” a maior ocupação feminina nos altos cargos POR CAUSA do desinteresse social masculino, levando em conta que o desinteresse feminino em competição profissional era considerado ruim por aqueles que buscam “igualdade”(só nos altos cargos, é claro”), mas aparentemente não o masculino contanto que deixe espaço para ocupação feminina, às custas, no caso, da isolação social e desistência masculina em massa. Bacana.

  19. Giblerto

    Eu sinto muito mais isso é o nosso futuro no Brasil…É bom lembrar que estes jovens cresceram vendo seus pais trabalhando 18 horas por dia dormindo na rua e ganhando um salário de fome e invariavelmente cometendo suicidio chegando ao ponto da empresa fazer contratos de trabalho eles são filhos do salarimam ou sarariman…muitos deles passaram muita necessidade quando seus pais cometeram suicidio e depois tinham estes contratos…se cometer suicidio a família fica sem nada…

  20. RedPill for Real

    Nos anos 90 nasceram os homens herbivoros Mgtows japoneses, com a crise finaceira dessa época muitos homens perderam emprego e esposas claro pq na sociedade pouco importa pra mulher o caractér do homem os recursos são o bem maior, teve divórcios em massa sendo registrado de 92 a 97 mais de 11 milhões de divórcios, com isso venho a década de suícidios e a lenda de Aokigahara pois todos os homens se matavam lá.
    Depois de todos esses acontecimentos os japoneses lógicos como são decidiram seguir a risco o Bushido, sendo muito desses homens crianças que nasceram em lares divórciados, não querendo cometer o mesmo erro de seus pais, decidiram tornarem-se herbivoros, e não gastar mas seu (TED) Tempo, Energia e Dinheiro com mulheres vendo que elas são um passivo em suas vidas e não um ativo. Com isso os japoneses começaram a desconstruir o homem moderno capitalista cheio de recursos e bens materiais, com isso as lojas de carros importados como Ferrari, Lamborghini e Porsche começaram a fechar lembrando que o país com mais Ferrari e Porsche por unidades vendidas é o Japão, grifes como Hugo Boss, Giorgio Armani e Calvin Klein fecharam as portas de suas lojas Menswear, os empréstimos estudatis para homens começaram a cair a medida que muito deles desistiam de uma Graduação para um emprego mais moderado para assim auxiliar mais seu tempo, o número de casas vendidas também cairam pois os homens desistiram de constituir família então uma casa própria já não é mais necessária, o número de homens assalariados de escritório que trabalhavam 14/16 horas por dia começaram cair, então substituídos pelas mulheres que agoram estavam disponivéis ao mercado de trabalho, com isso diminuiu a produtividade como consequência a competitividade dos produtos japoneses começaram a deslanchar sendo que perderam espaço no mercado para produtos coreanos como Samsung, LG, Hyundai e Kia, como resultado venho o aumento de preço dos produtos, impostos e inflação com isso 30 anos de estagnação.
    Três Décadas Perdidas que já está indo para Quarta o PIB cresce menos de 1% ao ano que não é saudavél para um país que é a 3º Maior Economia do Mundo, com a Maior Divida Pública do Mundo $12 Trilhões dólares, 400% acima do PIB que está dividido em 234% do Estado, 101% das Empresas e 65% das Famílias. MGTOW

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *