Santuários Japoneses – Butsudan e Kamidana


Butsudan - Santuário Japonês 1

Santuários Japoneses – Butsudan e Kamidana

Um fato interessante que notamos no Japão é perceber como as filosofias religiosas, como o budismo, xintoísmo e confucionismo se fundem harmoniosamente, formando praticamente uma só religião. Existem muitas práticas religiosas realizadas pelas famílias no dia a dia que podem ter raízes tanto budistas como xintoístas.

Como exemplo, podemos citar o Butsudan (Budismo) e o Kamidana (Xintoísmo), dois tipos diferentes de altares ou santuários domésticos que estão presentes em 90% dos lares rurais e 60% dos lares urbanos no Japão. Tanto o Butsudan como o Kamidama são usados especialmente para cultuar os antepassados.

Na verdade, o culto aos antepassados não é considerada uma prática religiosa no Japão. É relacionado mais com o Confucionismo, que como sabemos não é uma religião e sim uma “filosofia de vida”. Porém, é comum que as famílias aproveitem seus santuários Butsudan e Kamidana para orar por seus ancestrais.

Esses rituais, incluindo visitas à túmulos de parentes falecidos, são consideradas atitudes que fazem parte da vida dos japoneses, independente da religião que seguem. Podemos notar isso inclusive em vários festivais no Japão, como o Bon Odori e Tooro Nagashi ou durante o Ohigan, época onde os ancestrais são homenageados. Conheça um pouco mais sobre o Butsudan e o Kamidana:

Butsudan – Santuário budista doméstico

Butsudan tradicional-fotos

O Butsudan (佛坛 ou 仏坛) significa literalmente “Altar do Buda” e é visto como um item essencial na vida de uma família japonesa tradicional, pois é o centro da fé espiritual dentro da família. Este pequeno santuário se assemelha a um armário com portas que geralmente são fechadas a noite, após a última oração.

Dentro do Butsudan, encontra-se normalmente o Gohonzon, que é uma estátua ou fotografia com a imagem do Buda. Fotografias dos antepassados também são colocados dentro do Butsudan, assim como uma série de artigos religiosos como sino, velas, incensos e plataformas para as oferendas, como frutas, chá ou arroz.

Nas áreas rurais, o altar budista Butsudan está presente em mais de 90% dos lares. Já nas áreas urbanas e suburbanas, essa taxa cai para menos de 60%. O ritual geralmente é iniciado durante a manhã e depois segue-se um pequeno ritual padrão que pode ser realizado não só no Butsudan como no Kamidana:

* Primeiro, toca-se o sino duas vezes para a purificação
* A oferenda, no caso o arroz é colocado no santuário
* Em seguida é realizado uma meditação ou oração
* Após a oração, bata palmas uma vez, ao mesmo tempo que se curva
* Antes de se levantar, toca-se a campainha duas vezes
* E por último, come-se o arroz branco (da oferenda)

Vídeo com um Ritual Butsudan


Link do vídeo (YouTube)

Dizem que este ritual deve ser a primeira coisa a ser feito quando chegamos em casa, seja do trabalho, da escola ou de um passeio. No Japão, o Butsudan fica localizado geralmente na sala, próximo à porta de entrada, pois acredita-se que o butsudan protege o lar e não permite que energias ruins entrem na casa.

Além disso, a sala é um local onde geralmente a família se reúne e recebe as visitas e portanto é um bom local para deixar o santuário butsudan, pois desta forma fica acessível para toda a família e a todas as pessoas que frequentam a casa.

butsudan-moderno
Na época da imigração, muitos japoneses trouxeram o Butsudan da família, porém como o Brasil era um país católico, havia muita intolerância para com as outras religiões. Durante a Segunda Guerra Mundial a situação piorou ainda mais e qualquer tipo de tentativa de preservar as tradições era reprimida.

Como forma de continuar a tradição de culto aos antepassados, o jeito foi colocar o butsudan no quarto de dormir, por ser um local mais privativo da casa, onde geralmente as visitas não costumam entrar. Esse costume acabou sendo preservado até hoje na maioria das casas dos descendentes de japoneses.

Todos os presentes ou objetos comprados pela família são primeiramente apresentados aos antepassados da família e portanto são colocados em frente ao butsudan ou kamidana. Permanecem lá entre 2 a 5 dias e durante este tempo, os objetos não podem ser utilizados e nem mesmo devem ser tocados.

Kamidana – Santuário xintoísta suspenso

Kamidana santuário suspenso
O Kamidana (神棚) é uma miniatura de um templo xintoísta que é sempre colocado na parte mais alta de uma parede, num local bem iluminado e tranquilo, geralmente posicionado sentido leste ou sul. Um Kamidana jamais deve estar na linha do chão ou ser pisado e portanto seu uso é mais limitado às construções térreas.

Embora, há quem diga que mesmo quem mora em edifícios pode ter este tipo de santuário, desde que deixe um papel escrito “céu” (o-sora) junto ao Kamidana. Junto ao templo, também é colocado inscritos (ofuda) com o nome dos familiares ou com orações escritas e santificadas por um autêntico sacerdote xintoísta.

Esses inscritos normalmente são substituídos a cada ano e além deles há outros itens colocados no pequeno santuário xintoísta, como um pequeno espelho (kagami), uma caixa de madeira para moedas (saisenbako), dois vasos para folhas sakaki (Cleyera japonica) e shimenawa (corda sagrada de palha de arroz).

Kamidana fotos
Assim como no Butsudan, é comum colocar fotos dos antepassados importantes no kamidana. Isso inclui fotos de avós, bisavós ou outros membros da família já falecidos que são considerados importantes para a família. Também pode-se colocar imagens de proteção e amuletos de sorte como Daruma ou Maneki Neko.

No Japão, algumas famílias ainda tem a tradição de receber em casa um monge budista ou sacerdote xintoísta de tempos em tempos para rituais de purificação. Para os leitores que desejam saber um pouco mais sobre a mitologia xintoísta, sugiro que assista “A Viagem de Chihiro” (Sen to Chihiro no kamikakushi) do Studio Ghibli.

Quer aprender como fazer um Kamidana? Veja este link aqui.

Quer Aprender Japonês?

25 Comentários

  1. Everson

    É interessante lembrar que com a inculturaçao do catolicismo no Japão, também os católicos possuem altares semelhantes a os budistas dentro de suas casa onde fazem suas orações , infelizmente não sei como se chamam, porém é possível encontrá-los na loja paulus em Tokyo.

  2. Rodrigo

    Muito interessante!
    Obrigado por mostrar sobre o Butsudan e o Kamidana, até!

  3. Japão em Foco

    Oi Pessoal!
    Que bom que gostaram!
    Mata né 😉

  4. Douglas Bezerra

    Me lembrou os cantinhos de algumas casas daqui do Brasil mesmo em que as pessoas tem o costume de deixar santos e outras coisas derivadas para rezar depois, minha avó mesmo, tem um pequeno armário com alguns santos.
    Abraços!

  5. Japão em Foco

    Oi Douglas!
    Pior é que lembra mesmo! De repente pode ter tido alguma influência ocidental, vai saber né! Abraços!

  6. Pingback: Curiosidades sobre o Manji, a suástica budista | Curiosidades do Japão

  7. Pingback: Curiosidades sobre o sumô | Curiosidades do Japão

  8. MARGARIDA MALTA

    amoooooooooooooooooooo tudo do japao

  9. Marcos antonio dos santos

    Muito interessante saber sobre estes costumes orientais, pois tive ensinamentos com pessoa orienta, e adoro os bons costumes e principios deste povo. Sinto falta dele. Akio Yocoiama. Saudades.

  10. Aline

    No catolicismo são chamados de Oratório e são mais com o intuito de adoração à algum santo.

  11. Pingback: Funeral e Cremação no Japão | Curiosidades do Japão

  12. Rodrigo Augusto Martins Pissarra

    O Butsudan, para os praticantes do Budismo de Nichiren Daichonin, não serve para cultuar os antepassados, mas o Gohonzon, que é o mandala escrito por Nichiren e que contém a lei universal, que rege a vida de todos os seres vivos – nam-myoho-rengue-kyo -. Contudo, durante a liturgia diária – gongyo – há um momento de culto aos antepassados, amigos e membros da SGI, que já encontraram a morte. No Butsudan, o local que representa estas pessoas é um pequeno livro, onde se anotam o nome completo, seguido das datas de nascimento e morte da pessoa, e que é aberto no dia do mês em que se faz a liturgia do Gongyo. Dentro do Butsudan, não se colocam nada além do mandala de Nichiren Daichonin – o Gohonzon -, que permanece fechado quando não se está a orar ou oferecer algo.

  13. Ivam Nozaki

    bater palma na frente de um butsudan? tem certeza? em butsudan e em templos budistas nao se bate palmas, apesar de ver japoneses fazendo isso, eh incorreto, se faz apenas as maos em gassho. pelos menhos nas linhas que conheco como soto zenshu, jodo shu jodo shinshu ou a rinzai zenshu. de acordo com a linhagem do budismo o butsudan tem suas variacoes e alguns significados. nao da para generalizar

  14. Ivam Nozaki

    kamidana nao se cultua os antepassados. kamidana eh um santuario shintoista que cultua um kami que proteje o lar. o shintoismo nao eh e nunca foi uma religiao que cultua os antepassados. o shintoismo. a grosso modo falando cultua os elementos da natureza representados em diversas divindades. nao se coloca fotos no kamidana e tampoco insenso, velas ou flores. nos vasos colocam apenas galhos de folhas de sakaki mas na falta delas como no brasil, pode ser de alguma planta que as folhas nao caem com facilidade

  15. Ivam Nozaki

    um outro erro comum de muitos japoneses e fazerem gassho na frente de um santuario shintoista.

  16. Ivam Nozaki

    O que acho que a materia deve estar se referindo, pode ser considerado um Kamidana por ser shintoísta, mas o nome correto do altar shintoísta que cultua os antepassados é 霊舎 (みたまや Mitamaya). O Kamidana mais comum é o que representa o santuário de Ise e pode ser entendido como um altar de proteção do lar.

  17. Ivam Nozaki

    Uma curiosidade sobre o kamidana é que não existia no Japão antigo, é relativamente recente, surgiu durante meados da era Edo e pasmem! era algo como uma espécie de lembrança sagrada de santuários como o de Ise. Durante a Era Edo não era permitida a saída de pessoas comuns para viagens em outras províncias, a única oportunidade de um cidadão comum de sair de sua vila para viajar era apenas quando se peregrinava a algum templo ou santuário famoso como o de Ise. Com o passar do tempo, estes santuários em miniatura foram se espalhando entre os peregrinos e se tornando popular entre as pessoas comuns. pois não necessitavam mais ter que sair de sua vila para peregrinar. Era como se tivesse o santuario de Ise em sua própria casa. Esse costume acabou se tornando comum e outros santuários começaram a fazer o mesmo até chegar na forma que os kamidanas são hoje.

  18. marcio Francisco da Silva

    Peço a Deus em nome de Jesus que abra meus caminhos financeiros urgente para que a cada dia eu possa prosperar,dai-me inteligência e sabedoria para crescer na vida,por favor órem por mim para que eu consiga um trabalho que me dêem valor e que me paguem bem,pois nao tenho preguiça de trabalhar.

  19. Yuichi

    Olá, eu gostaria de comentar esta matéria! Concordo com as colocações de Ivam Nozaki, sobre a negativa de bater palmas [Hakushu 拍手(はくしゅ) ou kashiwade (かしわで)] em frente ao butsudan, todavia, eu acrescento que existe no budismo Shingon a prática de bater palmas num dos atos da liturgia do gomadan 護摩壇. Eu sei pois tenho um livro japonês da tradição Koyasan Shingon-shu que descreve todo o ritual dedicado a uma divindade budista, e nele há a citação de bater palmas como forma de “alegrar” as divindades sagradas. Eu não sei se os devotos do Shingon batem palmas em frente aos oratórios domésticos. Como sou praticante de uma “parte esotérica” do budismo de Nichiren, e pelo que eu conheço da minha família e do que é praticado em alguns templos desta tradição aqui no Brasil, nunca presenciei baterem palmas como parte do cerimonial. Abraços e parabéns pelos site!!!

  20. maria lucia ferreira okama

    Boa noite na verdade quero fazer uma pergunta cuido de um butsudan a 9 anos meu marido era o filho mais velho mas ele faleceu dia 14/12/2017 dia 31/01/2018 vou fazer a missa de 49 dias moro na casa da familia para cuidar do butsudan agora a familia quer que eu mude vão passar paraum filho mais velho que nunca vinha visitar o pai, tem medo do butsudan não tem consideração não acendi senco.como fica a minha situação ref.ao butsudan estou muito triste alem do meu marido ter morrido ainda estao me impedindo de cuidar do butsudan estou aqui escrevendo e me acabando em lagrimas ele não era so meu marido era meu amigo e companheiro.

  21. maria lucia ferreira okama

    Boa noite na verdade quero fazer uma pergunta cuido de um butsudan a 9 anos meu marido era o filho mais velho mas ele faleceu dia 14/12/2017 dia 31/01/2018 vou fazer a missa de 49 dias moro na casa da familia para cuidar do butsudan agora a familia quer que eu mude vão passar paraum filho mais velho que nunca vinha visitar o pai, tem medo do butsudan não tem consideração não acendi senco.como fica a minha situação ref.ao butsudan estou muito triste alem do meu marido ter morrido ainda estao me impedindo de cuidar do butsudan estou aqui escrevendo e me acabando em lagrimas ele não era so meu marido era meu amigo e companheiro.Boa tarde na verdade quero fazer uma pergunta sou brasileira e meu marido era o filho mais velho então ele ficou responsável pelo butusdan

  22. Saulo

    sinto muito pela perda.
    mas pelo que eu entendi a senhora não é a mãe dele.
    O filho mais velho deve herda-lo e dar continuidade aos cuidados

  23. Andreson

    olá .
    deixe me ver se entendi certo.
    Pelo que eu entendi seu casamento não gerou filhos e seu marido já tinha filhos de outra relação, e a senhora habita na casa do seu marido, (a familia quer que eu mude vão passar paraum filho mais velho que nunca vinha visitar o pai)
    O cuidado com o butsudan deve ser feito por alguém da familia, pelo seu relato, aparenta não ser a mãe do filho mais velho. por hierarquia ele é o herdeiro direto se seu casamento não gerou filhos. Mas se vc tiver filhos com seu marido eles podem ter a responsabilidade com o cuidado
    Por mais que a senhora tenha cuidado por todos os anos anteriores, o cuidado deve ser feito por vinculo da familia, se possivel sempre pelo primogenito do primogenito

  24. Meu pai faleceu e herdei o butsudan pela tradição da religião. Hoje o butsudan está na casa da minha mãe e ela me disse que precisa vir pra minha casa e que devo cuidar dele. Mas o caso é que não pratico a religião Budista, sou católico praticante, tenho enorme respeito pela religião Budista mas não sei se é certo com ambas as religiões alguém que não presta este tipo de culto manter o templo em casa. Não quero ser desrespeitoso com a família do meu pai e nem com a minha fé. Vamos dizer que os Budistas que aqui estão o que acham que devo fazer?

  25. Silvana Fumie Imafuku Damasceno

    Olá, boa noite. Aqui em casa o butsudan ficou com o filho caçula, meu pai no caso. Como ele faleceu deveria voltar para a casa dos filhos do irmão mais velho. Mas ninguem quer ficar com o butsudan. Então falamos com o bosan, e ele recomendou que ficasse com quem quer realmente cuidar dele, não importando se é o mais velho ou não. Está aqui em casa e quem cuida é minha mãe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *