Ijime, maus tratos nas escolas do Japão


Ijime, uma triste realidade no Japão

Ijime, a triste realidade do Bullying no Japão

O Ijime ( いじめ / 苛め ) é como se chama o Bullying no Japão e infelizmente esse é um grande problema nas escolas japonesas, levando muitas crianças à abandonarem as escolas e até ao suicídio. Todos os anos são registrados milhares de casos de Ijime, segundo o Ministério da Educação do Japão, o que torna essa situação dramática em um grave problema na sociedade japonesa.

Segundo a revista Alternativa, no ano de 2012, em um período de 6 meses (entre abril e setembro) foram registrados 144 mil casos, mais que o dobro do ano passado inteiro, que chegou a 70 mil casos de Ijime, envolvendo tanto maus tratos físicos como psicológicos entre os alunos das escolas japonesas.

Ijime , o bullyng no Japão

Dos 144 mil casos, 278 foram considerados críticos, envolvendo risco de vida. Por conta disso, campanhas contra o bullyng dentro das escolas, envolvendo alunos e professores serão incentivadas pelo Ministério da Educação, afim de conter esses números exorbitantes que podem causar graves sequelas emocionais.

A maior incidência de casos se deu no Shoogaku (Primário), com 88.132 episódios (aumento de 50 mil em relação ao ano passado), seguido pelo Chuugaku (Secundário) com 42.751 incidentes. Em terceiro, vem o kookoo (Ensino Médio), registrando 12.574 casos e na escola de apoio especial, foram 597 casos.

Ijime , o bullyng no Japão

O aumento dramático, pode ser resultado da tecnologia e também do acesso fácil à internet e redes sociais, que fazem com que os agressores intimidem suas vítimas também através desses meios de comunicação, fazendo com que elas sejam agredidas, torturadas, chantageadas e humilhadas também virtualmente.

Os maus tratos compreendem em repetidas agressões verbais, físicas e psicológicas. É comum um grupo de agressores, extorquir dinheiro da vítima, roubar os seus pertences, humilha-la, xingá-la, queima-la com bitucas de cigarro, entre outras agressões ainda piores que tudo isso, que causam danos irreversíveis às vítimas.

Muitas crianças acabam abandonando a escola por medo das agressões. Outras são ainda mais drásticas e preferem tirar a própria vida do que continuar a viver aquela vida humilhante. As formas mais comuns de suicídio é enforcamento, se jogar de um lugar alto, como um edifício ou penhasco, se atirar na frente de um trem, etc.

Ijime , o bullyng no Japão 6

Essa apuração foi realizada a mando de Hirofumi Hirano, ministro da Educação, após a repercussão da notícia do suicídio de um aluno do segundo ano do chuugaku, na cidade de Otsu (Shiga). O menino vinha sofrendo assédio moral por seus colegas e os professores faziam vista grossa para o que acontecia. Em 11 de outubro, ele resolveu por fim à sua vida, pulando do alto do seu prédio de 14 andares.

Esse garoto é apenas um dos milhares de casos que ocorrem desde sempre no Japão. Nem a neta do Imperador Akihito, passou ilesa ao Ijime. A princesa Aiko, de 8 anos, filha do príncipe Naruhito e da princesa Masako, deixou de frequentar as aulas por um período, alegando que a causa seria o Ijime por parte dos colegas.

O vídeo abaixo, eu achei no Youtube e fiquei chocada com as cenas. O cara que gravou teve sangue frio para filmar isso, pois eu fiquei aterrorizada só de assistir. Um grupo de meninas praticando o Ijime contra uma outra, que aparentemente parece ser frágil e não esboça nenhuma reação. Covardia sem limites!

Professores x Ijime

O Ijime, infelizmente está enraizado na sociedade japonesa, desde os tempos mais primórdios, o que torna um problema ainda mais difícil de ser resolvido de vez, embora seja possível reduzir o número de incidentes. O pior é saber que esse hábito terrível começa por aqueles que deviam denunciar os abusos: Os professores.

Eles são a maior causa do Ijime, pois o que dizer de professores que praticam maus tratos contra crianças diferentes, chegando até mesmo a ridiculariza-los perante as outras? Elas crescem achando que isso é normal e acabam sendo encorajados a praticar esses atos nefastos, praticado por grupos na maioria das vezes.

ijime, bullyng no Japão

As vítimas são sempre os colegas mais “frágeis” fisicamente ou psicologicamente, sem a mínima estrutura para enfrentar o bando delinquente. Não delatam os maus tratos, por vergonha e por causa do descaso das autoridades das escolas a esse respeito.

Além de cometerem ijime e influenciar as crianças a faze-lo, eles fingem não ver o que está acontecendo e omitem o fato, ao invés de denunciar.

Portanto, é preciso mudar a mentalidade dos educadores, para que se possa cortar o mal pela raiz. Só assim o Japão poderá ter esperança de ver menos casos de ijime acontecer nas escolas e ver as crianças mais felizes e seguras em uma escola com ambiente acolhedor, responsável pela formação acadêmica e psicológica do aluno.

Vamos ver se a partir de agora esse quadro de descaso dos professores e autoridades da escola em relação ao Ijime, começa a mudar positivamente nas escolas do Japão.

Você já foi vítima de Bullying ou conhece alguém que foi? Aproveite para deixar sua opinião a respeito. :smile:

Aproveite para ver uma reportagem do Serginho Groisman sobre Bullying no Japão, inclusive retratando vítimas brasileiras que sofrem desses tipos de maus tratos na escolas japonesas:

Ijime, Dame, Zettai (Baby Metal)

Conheça a música Ijime, Dame, Zettai, do grupo Baby Metal, que aborda essa questão do Ijime.

Letra de Ijime, Dame, Zettai

Yume wo miru koto sore sae mo motenakute hikari to yami no hazama hitori
Kizutsuita no wa jibun jishin dake ja naku mitsumetsuzukete kureta anata

Jishin (motte) motezu ni (makenaide)
Kakuretsuzuketa (ijikecha iya!)
Kinou (yesterday) made no jibun sayonara (baibai!)

Ijime (dame!)
ijime (dame!)
kakkowarui yo (dame! Dame! Dame! Dame!)
Kizutsuite kizutsukete kizu darake ni naru no sa
Kitsune (tobe!)
kitsune (tobe!)
kitto toberu yo (tobe! Tobe! Tobe! Tobe!)
Kurushimi mo kanashimi mo subete tokihanate kimi wo mamoru kara

Namida misezu ni nakidashisou na yoru wa kokoro no oku no heya ni hitori
Kizutsuketa no wa hoka no dareka dake ja naku kizukanai furi shiteta nakama

Nanimo (nothing) iezu ni (say nothing) akiramekaketa (poisutekinshi)
Kinou (yesterday) made no jibun sayonara (baibai!)

Ijime (dame!)
Ijime (dame!)
Kakkowarui yo (dame dame dame dame!)
Kizutsuite kizutsukete
Kizudarake ni naru no sa

Kitsune (tobe!)
Kitsune (tobe!)
Kitto toberu yo (tobe tobe tobe tobe!)
Kurushimi mo kanashimi mo
Subete tokihanate
Kimi wo mamoru kara

Itami, kanjite, zutto, hitori
Kokoro, kidzukanai furi
Mou, nigenai
Ijime, dame, zettai!

Itoshikute setsunakute kokoro tsuyokute
Kore ijou mou kimi no nakigao wa mitakunai

Ijime (dame!)
Ijime (dame!)
Kakkowarui yo (dame dame dame dame!)
Kizutsuite kizutsukete
Kizudarake ni naru no sa

Kitsune (tobe!)
Kitsune (tobe!)
Kitto toberu yo
Kurushimi mo kanashimi mo
Subete tokihanate
Kimi wo mamoru kara

Ijime, dame, zettai
Ijime, dame, forever
Ijime, dame, zettai
Ijime, dame, dame!

Quer Aprender Japonês?

55 Comentários

  1. Gabriel Arruda

    Isso aparece em alguns mangás.Aparece em Gantz,um professor humilhou o Kei Kurono o chamando de “Lanterna Diurna” e deixou subtendido para a turma que é o nome que ele dá para Alunos que ele acha que são inúteis;E em Assassination Classroom,Gakuhou Asano instituiu o bullying na escola,os protagonistas estudavam em um prédio no topo de um morro todo detonado,cheio de buracos no teto,os alunos das demais turmas eram doutrinados pelos professores mal-caráter a acharem que eram melhores que eles em tudo,eles batiam quando tinham chance nos membros da turma,os professores despachados para lá eram os piores e os novatos,e as provas erram feitas de modo que nenhum aluno conseguiria ficar entre os 50 primeiros no quadro de notas da série,ficar entre os 50 era o único modo de sair do prédio do morro.

  2. Stefano Barbosa

    Já pensou se surgirem “Columbines” no Japão por causa desses maus tratos ?

  3. Willyam

    Viver nas grandes cidades japonesas é inviável, em decorrência do ijime e do karoshi (duas fórmulas de destruição de pessoas).

  4. Eu sofro bullying e é muito ruim e isso tem que mudar e muito se muda -se seria muito bom

  5. nath

    No ocidente é comum vermos em filmes e séries alunos sofrerem bullying por serem inteligentes, isso não se aplica ao Japão? Tipo, em doramas sempre os alunos mais populares são os que têm as maiores notas, sendo assim, esse esteriótipo de que alunos CDFs são os que mais sofrem bullying não é uma verdade por lá?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *