A Trajetória do J-Pop em 12 Artistas e Bandas

Kyary Pamyu Pamyu

J-pop é uma abreviatura para “pop japonês” ou “música popular japonesa”. Trata-se de um gênero musical que entrou em evidência especialmente na década de 1990, substituindo o “Kayōkyoku”, um termo usado para a música pop japonesa da década de 1920 a 1980.

O termo J-pop foi cunhado pela mídia japonesa para distinguir a música japonesa da música estrangeira e agora se refere à maioria das músicas populares japonesas.

Atualmente, bandas como Baby Metal, Perfume e AKB48 tem entrado no radar da música internacional, sem contar cantoras solistas como Kyary Pamyu Pamyu.

Para ajudá-lo a mergulhar neste fascinante mundo, aqui estão algumas bandas e artistas J-Pop que fizeram sucesso ao longo das décadas. Não trata-se de uma lista abrangente pois seria impossível listar todos, mas serve apenas para você conhecer um pouco mais sobre o gênero.

1. Shizuko Kasagi


Faixa: ‘Tokyo Boogie Woogie’ (1947)

O começo da música popular japonesa no sentido mais “contemporâneo” pode ser rastreado desde as décadas de 1940 e 50, na mesma época em que o rock’n roll estava em alta no mundo ocidental.

Influenciado pela cultura americana do pós guerra, o escritor Masaru Suzuki e o compositor Ryoichi Hattori criaram a faixa ‘Tokyo Boogie Woogie’ para a então “rainha do boogie woogie”, Shizuko Kasagi. Embora, é claro, não seja a primeira forma de música popular do país, é definitivamente o começo de um novo som mais voltado para os jovens.

2. Kyu Sakamoto


Faixa: ‘Ue wo Muite Arukō’ aka ‘Sukiyaki’ (1961)

O single ‘Ue wo Muite Arukō’ de Kyu Sakamoto foi essencialmente a primeira vez que a música popular japonesa atingiu o público internacional. A letra fala sobre um homem que olha para o céu para que suas lágrimas não escorram pelo seu rosto.

Nos EUA, a canção foi um sucesso, mas foi lançada sob o nome ‘Sukiyaki’ pois para o público estrangeiro ‘Ue wo Muite Arukō’ era um pouco difícil de pronunciar. Sukiyaki, no entanto, não tem nenhuma conexão com a letra da música, pois é o nome de um prato popular no Japão.

3. Happy End


Faixa: ‘Natsu Nandesu’ (1971)

Como Bob Dylan, Joni Mitchell e seus contemporâneos estavam fazendo um rock folclórico mais reflexivo nos EUA, Happy End estava fazendo algo semelhante no Japão.

Com quatro integrantes, o som de Happy End era pioneiro no estilo vanguarda para a maioria dos japoneses naquele momento. É considerado ainda como sendo a primeira banda de rock japonês e até hoje são lembrados e continuam influentes na música japonesa.

4. Pink Lady


Faixa: ‘UFO’ (1978)

A chegada da dupla Pink Lady pode realmente significar a chegada do J-Pop no estilo mais parecido ao que vemos hoje em dia. Um dos primeiros ‘grupos idols’ do Japão, esta dupla lançou uma série de singles de sucesso ao longo dos anos 70 e 80.

Com um total de 1.950.000 de vendas, este single passou dez semanas no topo das paradas. Além disso foi eleita a melhor música de 1978 no programa de música japonesa The Best Ten.

5. Yellow Magic Orchestra


Faixa: Firecracker ‘(1980)

Yellow Magic Orchestra é uma banda japonesa de música eletrônica. Formada por três integrantes, a banda foi pioneira no uso de sintetizadores, samplers, sequenciadores, baterias eletrônicas, computadores e tecnologia de gravação digital na música popular, antecipando o “boom da musica eletrônica e do electropop” da década de 1980.

Alcançaram o segundo lugar na lista dos 100 melhores músicos do Japão da HMV. O grupo é considerado inovador no campo da música eletrônica popular. É considerada uma mistura de produção eletrônica, minimalismo dançante e instrumentação oriental tradicional.

6. Onyanko Club


Faixa: ‘Sailor Fuku wo Nugasanaide’ (1985)

Onyanko Club é com certeza um dos precursores de grupos idols como AKB48 e Morning Musume. Com 52 membros oficiais e três membros não oficiais no total, o grupo se apresentava em subgrupos separados. O grupo forneceu trilhas sonoras para vários filmes e animes populares e também teve seu próprio programa de variedades na Fuji TV.

Também eram frequentemente convidadas para irem em outros Programas de TV, além de estarem sempre presentes nas páginas de revistas idols dos anos 80. De longe, o maior apelo no Onyanko Club era a quantidade de membros jovens, que continua a fazer sucesso hoje.

7. B’z


Faixa: ‘Easy Come, Easy Go’ (1990)

Iniciada em 1988, B’z tornou-se uma das mais bem-sucedidas bandas do Japão, sendo um dos grupos que mais vendeu discos no país, segundo a Oricon. No início suas músicas eram repletas de efeitos de sintetizadores e com menos trabalhos na guitarra, mas ao longo da carreira, a banda adotou o pop rock e hard rock que os caracteriza hoje.

Na mesma época, o grupo J-pop SMAP também estava conquistando o Japão com sua formação no estilo One Direction e baladas cativantes sobre o amor. Após 20 anos de considerável sucesso, B’z pôde integrar a Calçada da Fama do Rock em Hollywood.

8. Speed


Faixa: ‘White Love’ (1998)

Após sua formação em 1996, Speed, um grupo formado por quatro integrantes de Okinawa, rapidamente tornou-se um dos grupos femininos de maior sucesso no Japão e na Ásia. Vendendo mais de 20 milhões de álbuns e singles durante a sua carreira fugaz, a banda acabou em 2000 para que cada uma pudesse concentrar-se nos estudos e projetos individuais.

Sua criação e sucesso, no entanto, influenciaram muitos aspirantes a grupos idols destinados ao público adolescente que surgiram pouco tempo depois, como o AKB48.

9. Ayumi Hamasaki


Faixa: ‘Vogue’ (2000)

É quase um crime falar sobre o J-Pop e não mencionar a modelo, atriz e cantora Ayumi Hamasaki. O que a destaca na cena J-Pop é sua constante rebelião contra os típicos grupos idols J-Pop. Desde o início de sua carreira, Hamasaki escreveu suas próprias letras, teve controle de produção sobre seu som e até compôs alguns instrumentais.

Enquanto muitos aspirantes a pop estão dispostos a abrir mão de qualquer controle criativo, a independência de Hamasaki inspirou alguns artistas solo a seguirem por esse caminho mais independente. Um exemplo que podemos citar é a cantora J-pop Kyary Pamyu Pamyu.

10. Hatsune Miku


Faixa: Melt (2010)

Hatsune Miku é uma cantora holográfica cuja voz é sintetizada por um software chamado Vocaloid, ou seja, não é nenhuma voz real por trás da cantora e sim um computador com um poderoso programa. Miku já se apresentou em vários shows em palco como uma projeção 3D.

No Japão, acredita-se que objetos inanimados podem ter uma alma, graças a conceitos ligados ao xintoísmo. Talvez essa seja uma das razões para a “idol virtual” Hatsune Miku ter se tornado um fenômeno, além da questão tecnológica que tanto atraem os japoneses.

11. AKB48


Faixa: ‘Manatsu no Sounds Good’ (2012)

Era apenas uma questão de tempo antes que essa lista chegasse à supostamente a maior banda da história pop japonesa, a AKB48. Formado em 2003 por Yasushi Akimoto, o grupo recebeu o nome do subúrbio de Akihabara e conta com 130 membros rotativos.

Alvo de grandes controvérsias, novas inovações de performance e algumas das técnicas de marketing mais fascinantes já utilizadas na história da música pop, esse grupo é considerado o presente e o futuro imbatível do pop mainstream no Japão.

12. Kyary Pamyu Pamyu


Faixa: ‘Crazy Party Night’ (2015)

Embora Kyary Pamyu Pamyu e ABK48 sejam tecnicamente J-Pop, ambos representam duas facetas muito diferentes do mundo J-Pop contemporâneo. Enquanto o AKB48 tem tudo a ver com perfeição manufaturada, Kyary Pamyu Pamyu está forçando os limites criativos e artísticos do que significa ser realmente um artista de J-Pop.

Como ela, outros grupos como Baby Metal, Perfume, SCANDAL, Exile, etc, tem conquistado o cenário musical internacional através de sua singularidade. Se o AKB48 é o futuro do pop japonês, Kyary Pamyu Pamyu é o futuro do pop internacional em geral.

Gostou do artigo? Comente e compartilhe com seus amigos!

Fonte: theculturetrip.com

Quer Aprender Japonês?

4 Comentários

  1. Marley

    A música UFO me lembra muito algumas músicas temas dos tokusatsu

  2. Yuji

    Perdi muito o encanto com Jpop há tempos porque grande maioria (especialmente grupos ou cantoras femininas) querem ser fofas com voz aguda e infantil demais.
    Parece que o japão não tem um amadurecimento musical.. Claro que existem casos e casos (o que mais gosto é Daichi Miura e de mulheres diria Utada Hikaru, Koda Kumi e etc) mas essa infantilização acho tão boring..
    dentre as músicas japonesas curto mais enka mesmo do que o jpop.
    Kyary Pamyu Pamyu parece mais do mesmo. Nada de novo embaixo do sol.
    No mais.. interessante relembrar musicas antigas 🙂 Obrigado!

  3. Agui

    Tem a Aimer, Gen Hoshino, kenshi Yonezu, etc que são muito bons
    Nem todo mundo gosta da AKB as vezes é irritante

  4. Naoto Maruyama

    Poderia incluir na lista a Amuro Namie, Utada Hikaru e a ZARD =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *