IG Nobel Awards e os cientistas japoneses

Ig Nobel

IG Nobel e os cientistas japoneses
Provavelmente, todos vocês devem conhecer o famoso Prêmio Ig Nobel, uma versão satirizada do Prêmio Nobel. Ele foi criado em 1991 e que tem como finalidade premiar as invenções mais estranhas e inusitadas do ano em uma cerimônia com toda pompa que acontece na Universidade de Havard.

O evento, cujo lema é: “primeiro fazer as pessoas rirem, depois pensarem“, foi criado pela revista de humor científico Annals of Improbable Research (Anais das Pesquisas Improváveis). Os prêmios são entregues em homenagem a pesquisadores e cientistas de diversas áreas como ciência, medicina, tecnologia, etc.

Os japoneses, pra variar, foram laureados em quase todas as premiações desde a criação do Ig Nobel Awards. Hoje quero mostrar pra vocês quais foram as invenções ou pesquisas científicas do Japão que ganharam prêmios ao longo desses 23 anos. Tenho certeza de que vocês vão rir e se surpreender com alguns deles.

2° IG Nobel Awards (1992)

Medicina: F. Kanda, E. Yagi, M. Fukuda, K. Nakajima, T. Ohta, e O. Nakata do Shisedo Research Center em Yokohama, por seu estudo pioneiro chamado de “Elucidação dos Componentes Químicos Responsáveis pelo Chulé do Pé”. A homenagem foi especialmente pela conclusão de que as pessoas que pensam que não tem chulé, na verdade tem e quem acha que tem, na verdade não tem.

5° Ig Nobel Awards (1995)

Psicologia: Shigeru Watanabe, Junko Sakamoto, e Masumi Wakita, da Universidade de Keio, pelo seu sucesso no treino de pombos que aprenderam surpreendentemente a distinguir pinturas de Picasso e Monet.

6° Ig Nobel Awards (1996)

Biodiversidade – Concedido ao Chonosuke Okamura do Laboratório Okamura de Fósseis de Nagoya, por descobrir fósseis de dinossauros, cavalos, dragões, princesas, e mais uma centenas de outras “mini-espécies” extintas, cada uma com menos de 0,25 mm de comprimento.

7° Ig Nobel Awards (1997)

Biologia: T. Yagyu da Universidade Médica de Kansai em Osaka e seus colaboradores do Hospital Universitário de Zurique, na Suíça e Instituto de Pesquisa em Tecnologia da Neurociência em Praga, República Tcheca, por medir os padrões de ondas cerebrais de pessoas enquanto eles mascavam diferentes tipos de chiclete.

Economia: Concedido a Akihiro Yokoi da Wiz Company de Chiba, Japão, e Aki Maita da Bandai Company em Tokyo, por divertir milhões de pessoas com horas de trabalho na criação de bichos virtuais.

9° Ig Nobel Awards (1999)

Química – Concedido a Takeshi Makino, presidente da The Safety Detective Agency de Osaka, Japão, pelo desenvolvimento do S-Check, um spray de detecção de infidelidade que as esposas podem aplicar na roupa íntima de seus maridos.

12° Ig Nobel Awards (2002)

Paz: Para Keita Sato, Presidente da Takara Co., Dr. Matsumi Suzuki, Presidente da Japan Acoustic Lab, e Dr. Norio Kogure, Diretor Executivo do Hospital Veterinário Kogure, por promoverem a paz e harmonia entre espécies ao inventar o Bow-Lingual, um sistema computacional automático que traduz latidos de cachorro.

13° Ig Nobel Awards (2003)

Química: Concedido a Yukio Hirose da universidade Kanazawa, por sua investigação química relacionada a uma estátua de bronze, na cidade de Kanazawa, que curiosamente não atrai pombos.

14° Ig Nobel Awards (2004)

Paz: Daisuke Inoue da província de Hyogo por inventar o karaokê, e de como esse equipamento ofereceu uma maneira inteiramente nova de as pessoas aprenderem a tolerar umas às outras.

15° Ig Nobel Awards (2005)

Nutrição: Dr. Yoshiro Nakamatsu, de Tóquio, Japão, por fotografar e, posteriormente, analisar o conteúdo de cada uma de suas refeições durante um período de 34 anos (e continua analisando…).

17° Ig Nobel Awards (2007)

Química: Concedido à Mayu Yamamoto, por conseguir a proeza de conseguir extrair fragrância de baunilha do esterco das vacas.

18° Ig Nobel Awards (2008)

Ciências cognitivas: Toshiyuki Nakagaki (Universidade de Hokkaido), Hiroyasu Yamada (Universidade de Hiroshima), Ryo Kobayashi, Akio Ishiguro e Atsushi Tero (Universidade de Tohoku) e o húngaro Ágota Tóth (Universidade de Szeged), por descobrirem que os micetozoários podem resolver problemas e quebra-cabeças.

19° Ig Nobel Awards (2009)

Biologia: Aos estudantes japoneses de medicina da universidade de Kitasato que demonstraram que os resíduos orgânicos podem ter sua massa reduzida em até 90% com a ajuda de uma bactéria extraída das fezes de pandas gigantes.

20° Ig Nobel Awards (2010)

Planejamento de Transportes:  Toshiyuki Nakagaki, Atsushi Tero, Seiji Takagi, Tetsu Saigusa, Kentaro Ito, Kenji Yumiki, Ryo Kobayashi (Universidade de Hokkaido) e Dan Bebber, Mark Fricker do Reino Unido, por usarem um tipo de mofo para determinar a melhor trajetória para estradas ferroviárias.

21° Ig Nobel Awards (2011)

Química: Aos pesquisadores Makoto Imai, Naoki Urushihata, Hideki Tanemura, Yukinobu Tajima, Hideaki Goto, Koichiro Mizoguchi e Junichi Murakami que criaram um alarme de incêndio a partir do tempero wasabi (raiz forte).

22° Ig Nobel Awards (2012)

Acústica: Kazutaka Kurihara e Koji Tsukada pela criação do Speech Jammer — uma máquina que interrompe o discurso de uma pessoa, fazendo-os ouvir suas próprias palavras faladas com um pequeno atraso.

23° Ig Nobel Awards (2013)

Medicina: Concedido à Masateru Uchiyama, Xiangyuan Jin, Qi Zhang, Toshihito Hirai, Atsushi Amano, Hisashi Bashuda e Masanori Niimi, pela avaliação do efeito de ouvir ópera, em ratos submetidos a transplante de coração.

Química: Shinsuke Imai, Nobuaki Tsuge, Muneaki Tomotake, Yoshiaki Nagatome, Toshiyuki Nagata e Hidehiko Kumgai, pela descoberta de que o processo bioquímico da cebola ao fazer as pessoas chorarem é ainda mais complexo do que os cientistas descobriram anteriormente.

E aí? Qual das pesquisas científicas japonesas você achou mais interessante? E o que será que está reservado para este ano? Será que os japoneses levarão algum prêmio mirabolante em setembro? Deixem comentários! 😉

Fonte: Wikipedia

Quer Aprender Japonês?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *