20 coisas que você vai estranhar quando for ao Japão


10 mentiras que te falaram sobre o Japão

20 coisas que você vai estranhar quando for ao Japão

Se você estiver indo ao Japão pela primeira vez, certamente irá se deparar com uma série de situações novas. E não tinha como ser diferente, afinal trata-se de um cultura totalmente diferente da nossa. Apesar das diferenças culturais, conhecer o Japão nos remete sem dúvida nenhuma, a uma experiência muito gratificante.

Alias, a graça de conhecer outros países é justamente conhecer seus costumes, as comidas típicas, a maneira como se comportam, entre outras peculiaridades. Por isso, resolvi listar aqui, algumas características que estranhei quando fui ao Japão pela primeira vez.

20 coisas que você vai estranhar quando for ao Japão

1. Tirar os Sapatos

Hábito de tirar os sapatos
No Japão, devemos tirar os sapatos antes de entrar dentro das casas e em vários outros ambientes públicos como como hospitais, escolas, restaurantes, templos, santuários e ryokans. Como não temos esse hábito no Brasil, é natural a gente estranhar, mas depois percebemos o quanto isso reduz a sujeira trazida da rua.

2. Vaso sanitário de Agachar

Embora exista vasos sanitário estilo ocidental, o washiki, vaso sanitário tradicional japonês é bastante utilizado. Nesse tipo de vaso, as pessoas precisam agachar para usa-lo e é normal muitos se sentirem confusos e desconfortáveis nas primeiras vezes. Mas nada que não se resolva com passar do tempo.

3. Terremotos constantes

Terremotos são constantes no Japão e acontecem praticamente todos os dias, com intensidades variáveis. No começo, podemos nos assustar com esse fato, mas logo “acostumamos”. Nos acostumamos entre aspas porque na verdade, bem no fundinho sempre prevalece um certo receio e apreensão.

4. Máscaras

máscaras no Japão
No Japão é comum as pessoas usarem máscaras em qualquer época do ano. As principais razões são alergias como Kafunsho ou para evitar espalhar vírus de gripes para outras pessoas. No começo podemos até estranhar, mas não demora muito, estaremos usando também pois é um grande gesto de educação e de respeito ao próximo.

5. O volante do lado direito

No Japão, o volante dos veículos ficam do lado direito (mão francesa), assim como na Inglaterra. Para trafegar, os veículos usam a mão esquerda (mão inglesa). É normal os brasileiros se sentirem um pouco confusos quando começam a dirigir no Japão, mas em pouco tempo se acostuma.

6. Gentiliza no trânsito

As gentilezas no trânsito é outra coisa que chama muito atenção no Japão. Existem certas etiquetas no trânsito muito legais e uma por exemplo é a forma como os motoristas em geral agradecem ligando o “pisca alerta” por alguns segundos, quando um outro faz a gentileza de lhe dar passagem.

7. O inglês dos japoneses

Claro que não podemos generalizar, mas a pronúncia em inglês da maioria dos japoneses não é dos melhores. Portanto se você domina o inglês e acha que com isso poderá se comunicar com os japoneses, sinto informar que terá uma grande decepção. Na minha opinião, vale muito a pena ter aulas de japonês antes de ir ao Japão, para assimilar ao menos o vocabulário básico.

8. Máquinas de venda automáticas

Máquinas automáticas
É impressionante como tem máquinas automáticas no Japão. Dizem que a proporção é de uma máquina para cada 23 pessoas. Super normal encontrarmos fileiras com dezenas máquinas vendendo tudo quanto é coisa, assim como também é super normal vermos uma máquina perdida no meio do nada.

9. Programas de Humor

Existem muitos programa de humor da TV Japonesa, que consideramos muito “non sense”. Mas é que para nós não faz muito sentido aquilo, pois o conceito de humor varia de uma cultura para outra. Aposto que se os japoneses assistirem os programas de humor da TV brasileira vão achar a mesma coisa.

10. Lendo revistas no konbini

No Japão é comum os japoneses ficarem folheando revistas nas lojas de conveniência, mesmo que saiam de lá sem levar uma única revista. Isso realmente nos impressiona, pois no Brasil, as revistas normalmente são plastificadas justamente para coibir esse tipo de atitude.

11. Lojas de Conveniência

Tem como não amar os “Konbinis”? Elas estão por toda parte, funcionam 24 horas e vendem praticamente de tudo, além de oferecerem vários tipos de outros serviços como ATM, takyubin, pagamento de contas, etc. É muito bom saber para onde ir, caso bata aquela fome às 3 horas da manhã.

12. Tatuagem

Proibida a entrada de pessoas tatuadas
As Tatuagens são vistas como tabu no Japão por estarem associadas a grupos criminosos, como a Yakuza. Muitas piscinas públicas, casas de banho e onsens proibem a entrada de pessoas tatuadas, além de que isso pode influenciar na contratação de uma pessoa em uma entrevista de emprego por exemplo.

13. Tudo é tão kawaii

Quando a gente chega no Japão, ficamos impressionados em ver como tudo é “kawaii” nesse país. Kawaii se refere a tudo que é bonitinho e adorável e nos últimos anos, tornou-se parte da estética japonesa. Pra se ter uma ideia, praticamente todas as empresas e instituições possuem um mascote kawaii.

14. O vício em jogos de azar

Muitos japoneses são viciados em Pachinko, um salão de jogos de azar exclusivo no Japão. Essa indústria movimenta mais de 300 bilhões de dólares por ano. Não são raros os casos de bebês que morrem por terem sido deixados sozinhos em casa ou dentro do carro enquanto os pais jogavam pachinko.

16. Liberdade de expressão

É muito interessante andar nos grandes centros e perceber que os japoneses se sentem livres para vestir o que quiserem. Muitas modas que acabamos vendo apenas em revistas, no Japão podemos ver nas ruas. Além do movimento cosplay conhecido no mundo todo, existem uma série de subculturas no Japão e o mais legal é que todas convivem harmoniosamente umas com as outras.

16. Nudez

Yoshigaura Onsen Lamp no Yado Ishikawa
Embora o Japão seja um país conservador em alguns quesitos, em se tratando de nudez, podemos dizer que os japoneses são até que bem desinibidos. Por exemplos, nos Sento (casas de banho públicas) e onsens (águas termais), os japoneses ficam nus em meio a outras pessoas (do mesmo sexo claro). Pra eles é algo natural, mas para muitos de nós acredito que ainda não seja.

17. Muitas bicicletas

No Japão, não vemos muitas pessoas andando a pé, especialmente nas cidades do interior. Normalmente, as pessoas utilizam a bicicleta como principal meio de transporte, mesmo tendo carro na garagem. E elas são utilizadas por toda a população, independente da classe social, incluindo, estudantes, aposentados, mães carregando seus filhos e compras e até assalariados de terno e gravata.

18. Policiais multando ciclistas

Em razão da baixa criminalidade, os policiais japoneses encontraram uma forma de deixar seus dias menos monótonos: Autuar ciclistas que não obedecem as regras. É comum vermos os policiais abordando ciclistas, seja para dar uma reprimenda ou então para aplicar algum tipo de multa aos infratores.

19. Fumar em locais públicos

Área de fumantes no Japão
Em muitos locais públicos no Japão não são permitidos fumantes, inclusive nas ruas. Mas existem alguns locais próprios para fumantes. Normalmente são cubículos fechados com um exaustor para sugar a fumaça.

20. Ano Novo japonês

Se você pretende passar o Ano Novo no Japão, lembre-se que lá a comemoração é bem diferente do Brasil. Não se ouve fogos de artifício ou algazarra. O que se ouve são as 108 badaladas dos sinos. Isso porque, no Ano Novo, os japoneses visitam os templos para pedir prosperidade ao ano que está se iniciando.

Bom, eu teria outras coisas pra falar, mas creio que ficaria longo demais. Quem sabe em uma parte 2? Mas gostaria de saber de você sobre o que estranhou quando chegou no Japão. Como trata-se de uma cultura tão diferente da nossa, sempre tem situações que nos chamam a atenção não é mesmo? 🙂 2° Parte já disponível 🙂 … Clique aqui

Quer Aprender Japonês?

27 Comentários

  1. Muito legal!!É sempre bom está informado.Obrigada pelo ótimo texto!

  2. Júlia matushima

    Só achei qdo vim da primeira vez o cafezinho no verão ser gelado e nos restaurantes servirem café com gelo isso foi demais agora já acostumei até bebo gelado ou frio no verão

  3. Japão em Foco

    É verdade Júlia…
    Também achei estranho o café gelado no verão na primeira vez que fui ao Japão… Depois que a gente acostuma, começa a achar tudo tão normal que até esquece desses detalhes… Obrigada por comentar
    🙂

  4. Gisele

    Entre outras coisas tbm, uma legal é que em todo estabelecimento comercial pode ser uma lojinha de conveniêcia ou um supermercado todos os funcionarios ao ouvirem o barulho da porta (nas conveniencias principalmente elas tem ou fazem barulho de sino) ou assim q te avistam gritam imediatamente a palavra IRASHAIMASSÊ quer dizer bem vindo e quando a gente sai tbm gritam ARIGATO GOZAIMASHITA que é muito obrigado no começo é engraçado!!!

  5. Quando cheguei ao Japão em cada esquina alguém me estendia o braço entregando um panfleto é um pacotinho de lenço. Pensei nossa aqui não pode andar com nariz escorrendo kkkkkk

  6. Silvia

    Adorei essas curiosidades… Sou louca pra conhecer o Japão… Muito bom mesmo….

  7. Guto Hazuki

    Essas 108 badaladas tem a ver com as 108 tentações do homem, né? Que são as 108 contas do rosário de Buda, etc. Acabou virando um número místico. Eu lembro vagamente dessa explicação por causa de um dos katas do estilo de karate que pratico ter como nome 五十四歩 (gojushiho, 54 passos), exatamente metade de 108 passos…

  8. Mari

    Achei estranho aqueles sapatinhos que separam o dedao dos demais dedos que os homens usam nas construções e as calcas largas com uma espécie de feixe ou punho nos tornozelos.

  9. Anna van mierlo

    😆 eu amo o Japão. So morei 10 anos mas adoraria voltar um dia!

  10. Eu estou aqui há 6 anos e não pretendo retornar tão cedo ,há não ser a passeio,parabéns pela iniciativa

  11. Gislaine

    Simplesmente, japao e maravilhoso, cultura, culinaria, a forma que nos tratam quando estamos em alguma loja, shopping, a etica japonesa …sem palavras, amo viver aqui no nihon!

  12. William

    Muito bom, precisa esperando a parte 2 😆

  13. lucimara

    Amei.quanta Saudades desse lugar,muito bom relembrar tudo isso . obrigado pela publicação.

  14. Mitiyo Untem

    A coisa que mais estranhei qdo fui ao Japão , foi quando fui ao toalet
    A gente passa primeiro pela toaletes dos homens p/ depois chegar no das mulheres .

  15. Emilia H

    Muito obrigada minha amiga por enviar-me esta maravilha, rica de informações essenciais. Aguardo parte 2.

  16. Roberta Otani

    nossa, quando a gente chega no Japão são muitas coisas mesmo que estranhamos. Nos apartamentos normalmente não tem 104, 204, 304, etc. Outra coisa que meu cunhado reparou é que ele já sabia que aqui as ruas são limpas, que não se joga lixo no chão, ele pensava que tinha uma lixeira em cada esquina, mas não tem lixo nas ruas. E outra coisa que ele ele esperava também, é que mesmo no verão houvesse neve no Fuji, ficou decepcionado kkkkk.

  17. Anderson

    Legal saber dessas diferenças, você poderia (se já não o fez) citar coisas que odeia e coisas que gosta no Japão! isto do ponto de vista de uma pessoa vinda do Brasil claro.

  18. Japão em Foco

    Oi Anderson!
    Na verdade, já fiz posts sobre o que eu gosto e sobre o que eu não gosto do Japão.
    Segue os links abaixo para você dar uma olhada:
    • 40 Motivos Para amar o Japão
    Parte 1, Parte 2 e Parte 3
    12 Pontos Negativos do Japão
    Espero que dê uma olhadinha e deixe sua opinião! 🙂
    Abraços!

  19. Anderson

    opa!
    40 Motivos o.O vou olhar obrigado.

  20. daiane

    oi eu pretendo ir pro japão pela primeira vez,sempre gostei de tudo sobre o japão,me esclareceu muitas coisas, eu so me preocupo em relação ao preconceito,mais estou me preparando obrigada pelas informações

  21. Thesis

    Esse tipo de gesto de agradecimento no transito existe aqui também.

  22. Tatiane

    Coisa estranha no Japão. Fãs preferem que seus ídolos sejam gays do que namorem mulheres.Pelo menos é o que me parece, com tanto fanservice.

  23. Nara

    Não estranharia nada, pois foi assim que fui educada (isso porque não tenho descendência japonesa). Nunca, jamais acostumei com a má educação do meu povo, folgado e de pouca higiene. Mas estou aí para dar o exemplo pelo menos; eu e outros poucos (embora educação e respeito vem de berço). Só não fui embora para o Japão por falta de oportunidade, porque se tivesse iria tranquilamente. Morar num país onde as coisas funcionam, onde as pessoas são discretas e cada um cuida da sua vida; onde os serviços públicos e privados funcionam; as pessoas põe em prática os valores morais, a inteligência é bastante utilizada, o ambiente é limpo e ecologicamente equilibrado, enfim… tudo vale à pena suportar, os prós e contras e mesmo os terremotos, tudo para se viver com dignidade. Passar uma vida inteira reclamando de um país que não se esforça para mudar, de pessoas que não se esforçam para melhorar, é muito triste. É preciso uma reforma política num país de leis injustas, de governantes e políticos corruptos, e mesmo de um povo que dê exemplo para essa mudança acontecer, se não de nada adianta fulano, ciclano e beltrano continuar levando troco e furando fila. Uma andorinha só não faz verão. Quantos servidores públicos deixam de fazer o seu trabalho abusando da sua estabilidade funcional e financeira? Quantos servidores servem mal ao seu povo? Quantos cargos são preenchidos por fantasmas, quantos empregados dão um jeitinho de burlar o sistema, quantos pegam o atalho para tudo? É claro que existem exceções, mas se parar pra pensar e observar o cotidiano, não sou eu quem fala, mas as estatísticas. Todo brasileiro, em qualquer lugar, todos os dias sofre algum tipo de violação de consumidor, fraude, malandragem, inércia, falta de educação, falta de respeito, enfim. Começa em casa ou no trabalho e despeja no trânsito. Quanta ignorância, quanto falta de bom senso, quanta falta de responsabilidade consigo e com outros, quanta impaciência. É uma pena que no Brasil sempre prevalece a regra do ‘jeitinho malandro de ser’ no dia a dia. Isso não quer dizer simpatia com os estrangeiros. Simpatia não é só mostrar os dentes e fingir camaradagem. Se eu respeito meus pais e irmãos e vice-versa, saberei respeitar o próximo. É assim que tinha que ser no Brasil para as coisas começarem a funcionar.

  24. rick

    Disse tudo Nara,e mais um pouco…

  25. adorei já falaram pra mim que no japão as coisas são muito fofas eu adoraria ir viajar mas o maçimo e no paraguai

  26. Hélder

    Única coisa que me preocupa, é deixar a família

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *